6.5.15

Blessing in disguise

Estava a ler este artigo e a pensar que, apesar de este país ser o que é e de ainda haver muita coisa que é preciso ser feita em termos de igualdade e de aceitação das várias orientações sexuais, pelo menos sou abençoado por viver num país onde ser gay não me atira para a prisão. E onde não tenho que arranjar estratagemas (como casar com uma mulher de outra nacionalidade), para poder viver num país onde sou aceite (como o último exemplo do artigo).

1 comentário:

N a m o r a d o disse...

Pois. Nisso é uma grande verdade.