24.2.15

A barbearia e a manifestação

Eu sou feminista. Eu não concordo com a manifestação à barbearia que só deixa deixa entrar homens e cães.

Se por um lado, esta imagem reduz a mulher a um ser inferior a um cão, por outro lado é um dos melhores actos de marketing, porque fez com que a abertura desta barbearia, que de outro modo passaria despercebida, andasse na boca do mundo e aparecesse nos jornais. Tudo bem que a publicidade pode não ser boa mas, hey, não houve alguém que disse que não há cá nada disso de publicidade boa e má, apenas publicidade, que o que interessa é ser-se falado? Pois.
De qualquer maneira, custa-me ver a questão por esta perspectiva.

Já li alguns argumentos de homens que também não concordam com a manifestação (cujo vídeo podem ver AQUI), mas alguns dos argumentos que utilizam acabam por não ser válidos devido a uma série de coisas.
A ser assim, também vou invadir um daqueles ginásios que só permite mulheres.
Pois, mas tu, meu amigo, não tens medo de ser assediado no ginásio, nem, digamos, corres esse perigo. As mulheres sim e se esses ginásios existem é porque já aconteceram situações dessas. Não tornemos isto uma questão centrada nos homens, por favor.

Na Arábia Saudita onde as mulheres não podem fazer quase nada, é que vocês não protestam, não é? Deixem-se de mesquinhices e lutem pelo que é realmente importante!
Isto é o mesmo que dizer que quaisquer questões que não sejam relacionadas com a fome mundial são mesquinhas, porque, na verdade, o mais importante acima de tudo é garantir que toda a gente não passe fome. Portanto, quaisquer outras questões, como direitos humanos, economia e afins não são o principal e devíamos era lutar para que os meninos no nossos país, em África e no resto do mundo não passem fome. (Houve muita gente a utilizar o argumento "há assuntos mais importantes" na altura do alargamento do casamento para toda a gente e outra vez aquando da votação da co-adopção e da adopção plena para todos). No entanto, a questão é: o que é que é realmente importante?

Se as mulheres querem igualdade, porque é que elas podem entrar na disco à borla e os homens não?
Perguntar isto é só estúpido, porque, é sabido que existe desigualdade salarial entre homens e mulheres, favorecendo os homens, depois, tem um pouco a ver com os homens heterossexuais. Lá está, outra campanha de marketing: uma discoteca cheia de "gajas" vai atrair mais homens, que vão comprar mais bebidas para engatar "gajas".

Contudo, é verdade que existem feministas (mulheres) nazis, cujo objectivo é fazer de tudo para ir contra os homens, nomeadamente dizendo para as mulheres não se depilarem, porque isso é só para o agrado dos homens e eles são uns porcos egocêntricos e machistas. Mais uma vez, volta-se a centrar o assunto nos homens e não nas mulheres. Então e aquilo que cada mulher quer? Então e se uma mulher gostar de se depilar, porque se sente bem com ela própria? E se se gostar de maquilhar pela mesma razão? E mesmo que seja para agradar aos homens, é a escolha dessa mulher e o luta-se pela também por isso, não só pela igualdade entre os géneros, mas também pela liberdade de escolha!

Contínuo sem saber bem o que pensar acerca disto. Sei que não concordo com a manifestação (e, de facto, toda esta agitação em torno da barbearia, só lhe tem trazido mais publicidade), no entanto, não podemos agir do género "se não falo no problema, o problema não existe", porque ele é real, está lá, mas mesmo assim...

Outro dos argumentos é: se as mulheres não têm barba, porque é que querem ir a uma barbearia? Mas é muito mais que isto...

Thoughts?

6 comentários:

Pedro Pádua disse...

Não concordo com a manifestação. O conceito da barbearia é a correta e faz falta mais.
Há lugares para as mais diversas pessoas e gostos on,de está sempre reservado o direito de admissao... ser permitido entrada dos fieis amigos sóvinca mais o estilo da barbearia e de quem a frequenta.

João disse...

E se elas se depilarem para agradar à mulher?....

AdamWilde disse...

@João o princípio é o mesmo: se a mulher se quiser depilar, depila, seja para agradar a ela, ao homem ou à mulher

N a m o r a d o disse...

Eu acho que é um problema que não existe e deviam ter ignorado o facto porque o assunto se resolveria por ele próprio.

iLoveMyShoes disse...

Imagina que em vez da mulher na imagem estava um preto, ou um gay. Aí ninguém iria dizer que não era descriminação. Aí todos se indignariam. Mas como se coloca uma mulher, então tudo bem, é marketing e publicidade... Todos sabem que uma barbearia é para homens... daí a impedir-se a entrada de uma mulher na loja (e quase correr com ela aos pontapés)... é um pouco excessivo.
Eu era para lá ter ido cortar o cabelo ontem... mas depois de ter percebido o que lá se passa, decidi não ir. Fico contente de não ter contribuído com o meu dinheiro para essa gente.

AdamWilde disse...

@ilovemyshoes acho que tens razão! Contudo, não posso deixar de dizer que se fosse um gay ou um preto, seria discriminação, porque ambos precisam dos mesmos cuidados (no que toca ao que esse estabelecimento tem para oferecer) que um homem heterossexual branco...