3.7.14

Update

Decidi desistir, mesmo.
A quantidade de coisas que tinha que decorar até sexta feira era estupidamente grande e eu odeio decorar! Sim, eu sei que já devia ter começado a estudar, mas desleixei-me, tomei decisões erradas e assumo isso, mas acho que agora estou a fazer o mais correcto, até porque, mesmo que fosse fazer o exame eu sabia que não ia passar. E se, por algum milagre, conseguisse ter 9.5, ia ser uma nota de merda e depois talvez fosse repetir e ia perder mais tempo...
Portanto, decidi que vou fazer a cadeira no próximo ano, mesmo sabendo que tenho 6 cadeiras e que ainda não sei se passo a duas cadeiras este semestre.
Já falei com os meus pais sobre isto. Eles disseram que eu devia tentar, que depois logo se via... Mas eu estou cansado, ia estar a matar-me para nada. Eu sei que não consigo! Já disse isto no post anterior: há que saber reconhecer quando não conseguimos fazer algo e eu não consigo fazer isto agora!
Tive uma discussão com o meu pai...
Eu não gosto muito de falar com ele, porque a conversa anda sempre em torno do mesmo, não evolui e isso irrita-me. Disse-lhe que não tinha estudado, que me tinha desleixado este semestre e sempre que eu dizia que não valia a pena ir ao exame, a conversa que se desenrolava era a seguinte:
-Então porquê?
-Porque não sei nada!
-Não estudaste?
-... [exasperação]
Irrita-me andar sempre em círculos e por isso comecei a mostrar irritação e impaciência. Ainda mais quando ele disse que a conversa ficava por ali, que "eu já estou a ver que não dá para falar contigo". É só a pior coisa que me podem dizer! Mas no final disse que eu fazia como entendesse, mas que no próximo ano não tinha desculpa nenhuma, porque este ano tinha servido para eu aprender.

Esta situação levou-me a pensar num amigo meu que mora aqui ao lado, do meu curso e que passou a uma cadeira este semestre e que vai chumbar o ano porque não fez o mínimo de cadeiras para que pudesse passar. Não sei como reagiram os pais dele ao facto de ter chumbado a tanta coisa, mas ele não pareceu mudar o comportamento no segundo semestre. Mas eu tentei! Eu estudei muito mais neste semestre do que no anterior, mas algo correu mal e eu vi-me, de repente, nesta situação desesperante! Sei que tenho que me esforçar ainda mais, mas com o tempo irei lá chegar...
De qualquer maneira, o que queria dizer é que houve imenso drama com isto! Já por ter chumbado a uma cadeira no primeiro semestre e por deixar outra agora... É como se os tivesse habituado a ter notas mais ou menos boas e agora estivesse a descer e eles não gostassem. Se ao menos eu tivesse tido sempre notas de merda, eles não iriam reclamar tanto. Não, é mentira e eu não era capaz de fazer isso...

Sinto-me inseguro quanto a isto, mas acho que é o melhor a fazer... Apetece-me adormecer e não voltar a acordar, porque eu adoro quando estou a sonhar... O mundo na minha cabeça é muito melhor que o mundo fora dela.

3 comentários:

Paula disse...

A universidade exige muito mais estudo e que sejamos mais disciplinados, pois a quantidade de matérias a estudar é muito maior que no secundário. Eu tive sérios problemas quando fiz a licenciatura pois não estava preparada para essa realidade.

Duas disciplinas por fazer é ainda possível de recuperar. Bom descanso e bom estudo a partir de Setembro.

Anónimo disse...

És muito burro puto. A faculdade é tudo menos isso. Não sei em que curso estás, mas pelo que fui lendo do teu blog penso ser biologia.
Conselho sincero de alguém que estuda na área da saúde, em que muitas cadeiras são comuns - suponho que também devas ter biocel, biomol, bioquímica, imunologia, microbiologia etc - nunca se desiste de um exame.
Ao contrário do secundário em que para se ter bons resultados tínhamos que estudar de facto a matéria - pensa por exemplo em biologia - na faculdade a quantidade de conceitos a conceptualizar é simplesmente demais e os pormenores a memorizar impossíveis de serem retidos em tão pouco espaço de tempo. Repara que uma cadeira científica agora equivale a mais de matéria de um ano no secundário.
Então como é que as pessoas se safam perguntas tu? É francamente simples... sabendo eliminar as porções da matéria que saem menos e priorizar as que saem mais. Aqui não se estuda para o 20, no máximo dos máximos para o 16 (se o exame repetir o suficiente talvez dê para o 18). Depois há outra ideia que convém ires mentalizado: exames repetidos... é essencial estudar exames de anos anteriores, para além de te dar a noção da estrutura em si, consegues ver as cenas que saem mais, aquilo que não interessa tanto... e por vezes tens a sorte de repetirem perguntas, quando não é exactamente igual (a pergunta), o raciocínio que envolve as questões é muito semelhante.
Por fim, fala com pessoal de anos acima, vê como eles fizeram no ano deles. O verdadeiro segredo para ser bem sucedido na faculdade é optimizar o tempo investido, ou seja, no menor tempo possível tentar, não saber o maior número de cenas possíveis (porque entretanto chega uma altura em que já não te lembras do início), mas sim saber aqueles fragmentos de matéria que te irão permitir obter o melhor resultado possível, no tempo que estiveres disponível a investir e consoante a tua resistência e capacidade de memorização.
Vou-te dar um exemplo pessoal com bioquímica I: no meio da minha época de exames, faltei à primeira fase e deixei para recurso, entretanto fui melhorar outro e acabei por ficar com 3 dias para estudar 24 aulas, cada uma com mais de 50 slides (sendo que nem sabia o que era bioquímica durante o semestre). A tarefa de facto parece impossível, mas fez-se. Com auxílio de vídeos no youtube que explicam muitos dos processos celulares (experimenta, ajuda bastante) lá consegui ver as proteínas, os glícidos e uma pequena parte dos lípidos, daquelas 24 aulas, acabei por ver 18 acho eu, sendo que nem sequer vi ácidos nucleicos e metabolismo de aa. Fui a exame, tal como tu a pensar que estava reprovado ali, a primeira parte correu bem a segunda, como não tinha estudado, sabia muito pouco, mas tinha visto uma pergunta ou outra em exames passados e sempre ajudou. Resultado: tirei 16.
Daí o conselho, nunca desistas de ir a um exame se isso envolve a deixar a cadeira pendurada.
Boa sorte

N a m o r a d o disse...

Também acho que não devias ter desistido.