28.5.14

Cidades

Ontem estava a falar com um amigo da minha cidade e ele estava a dizer que não sabia se devia vir para Lisboa. Por um lado, não queria levar os pais à falência, mas por outro, não aguentava ficar naquela cidade muito mais tempo.
Acontece-me o mesmo a mim. Cada vez que lá vou, sinto que cada vez me sinto mais longe daquela cidade, no entanto, sinto-me cada vez melhor em casa, sempre que lá estou, bem como me sinto bem na calma pachorrenta da minha aldeia.
Adoro Lisboa, adoro o movimento, a confusão, o barulho... Mas como só estou aqui com o propósito de estudar, é óbvio que às vezes queira deixar isto tudo para trás e ir para a minha casa e o meu quarto! É como me sinto hoje: desejoso que amanhã chegue depressa para me enfiar no comboio e ir para casa. Vou ter que passar os dias a estudar, mas, pelo menos, a comida é feita pela minha mãe.

4 comentários:

Horatius disse...

LOOL
A comida da mãe, por muito que se conheça, é sempre a comida da mãe. Aprendi a dar-lhe outro valor depois de ter vivido sozinho :)

Ricardo disse...

Estou como tu. Adoro Lisboa e não a quero trocar, mas ir à Aldeia de 15 em 15 dias é bom e ajuda. Há um outro ar

Kyle Phillipe disse...

só poderei dar a minha experiência de cidade/campo em setembro, se alguma coisa mudar xD

Namorado P.S. disse...

Ai as saudades, as saudades! A nossa casa, será sempre a nossa casa e onde estão as pessoas de quem gostamos.