8.3.14

O Mestre faz 100 anos

"...lembrei-me um dia de fazer uma partida ao Sá-Carneiro — de inventar um poeta bucólico, de espécie complicada, e apresentar-lho, já me não lembro como, em qualquer espécie de realidade. Levei uns dias a elaborar o poeta mas nada consegui. Num dia em que finalmente desistira — foi em 8 de Março de 1914 — acerquei-me de uma cómoda alta, e, tomando um papel, comecei a escrever, de pé, como escrevo sempre que posso. E escrevi trinta e tantos poemas a fio, numa espécie de êxtase cuja natureza não conseguirei definir. Foi o dia triunfal da minha vida, e nunca poderei ter outro assim. Abri com um título, O Guardador de Rebanhos. E o que se seguiu foi o aparecimento de alguém em mim, a quem dei desde logo o nome de Alberto Caeiro. Desculpe-me o absurdo da frase: aparecera em mim o meu mestre."
Excerto da carta a Adolfo Casais Monteiro

P.S: Para quem se lembra do meu post do início do ano.

3 comentários:

Kyle Phillipe disse...

e eu que treinar para o representar num trabalho :)

Horatius disse...

Hoje, sem a pressão da escola, tenho a dizer que adoro a loucura de Fernando Pessoa. E Alberto Caeiro é sem dúvida a sua face que prefiro :)

Namorado P.S. disse...

Lembro sim. Até perguntar se haviam mais eventos do mesmo género LOL