29.12.14

27.12.14

Exames, exames, exames

Chumbei a duas cadeiras no ano passado, por desleixo. A minha tia já me disse para ter atenção e não fazer o mesmo que fiz no ano passado, porque os meus pais não têm dinheiro para me pagar mais um ano...
Este ano, tenho o estudo adiantado (em comparação com o ano passado e com as minhas amigas) e tenho medo de chumbar a alguma cadeira, coisa que nunca tive no ano passado. -.-'

20.12.14

16.12.14

Hoje é um daqueles dias em que precisava de ter alguém que ouvisse todas as minhas queixas sobre a má vontade das pessoas e a sua estupidez, que me deixasse descarregar toda a minha frustração, que não ficasse chateado por eu estar a falar alto e de mau humor e que no fim me puxasse para si e me desse um abraço apertado seguido de um beijo...

12.12.14

The perks of living here

Viver numa residência universitária (pelo menos, como esta, em que fazemos questão de nos conhecer e dar bem) é como viver numa aldeia pequenina (como a minha, vejam lá a sorte que tenho), isto é, uma pessoa faz uma coisa, outra pessoa vê e fica logo toda a gente a saber. 
Já vieram algumas pessoas a este quarto e nunca ninguém soube, ontem, alguém viu e pronto... 

9.12.14

Remoer cenas

Sou aquele tipo de pessoa que fica a remoer sobre coisas parvas.
Por exemplo:

A minha faculdade tem uma biblioteca dedicada ao meu curso (como tem para outros) e a bibliotecária deixou-me ficar com um livro desde quinta-feira até hoje. Isto é importante, porque as requisições ali são apenas de um dia para o outro. Acontece que eu hoje quero aproveitar o fim de tarde e a noite para estudar, bem como a manhã de amanhã e precisava do livro. Na biblioteca havia mais livros deste, só que edições mais antigas. Como já tinha ficado tanto tempo com o livro, a senhora não me quis deixar levar e disse para eu levar outra edição. Fui ver as edições mais antigas e a parte que estou a estudar está um pouco mais confusa ali, pelo que pedi a uma amiga minha para o requisitar por mim. A senhora soube e disse à minha amiga (que me contou depois): "sabe que não pode requisitar livros para os seus amigos, não sabe? Sei, mas isto é para mim...".

Agora ando aqui a pensar que não deveria ter tentado enganar a senhora, que tem sido simpática para mim, só que eu preciso do livro e se estou a estudar por esta edição, porque raio tenho que levar outra? Se em 4 horas que o livro esteve na biblioteca nenhum dos 200 e tal alunos do meu curso, do meu ano, o lá foi buscar, duvido que lá fossem depois. Enfm...
Começar mas é a tirar fotocópias aos capítulos que preciso, porque estou a ver que requisitar livros ali não dá com nada!

8.12.14

Sabem o que é que era mesmo giro?

Perguntarem-me de que equipa de Hogwarts é que sou, em vez de me perguntarem se sou activo ou passivo.
Isso, ou qual dos doutores prefiro: se o 10º, o 11º ou o 12º.
Mas o sexo é uma coisa fundamental e há quem não veja mais longe que isso (e a carne também é fraca).

6.12.14

Há pessoas que se queixam que o seu feed de notícias é constantemente invadido por publicações: posts, notícias, vídeos, coisas que gosto, que queria ter... tudo actividade minha.
Pois bem, só gostava que, na altura de me oferecerem prendas essas pessoas fossem consultar o meu Facebook, em vez de me darem coisas... enfim.

3.12.14

Respostas que se impõem!

Lembram-se desta pergunta pertinente? Pois bem, eu sei que a pergunta era feita para um local em casa, mas esqueçam, a pergunta estava mal feita desde o início. No domingo, quando vinha para Lisboa de comboio, à minha frente ia um senhor a cortar as unhas.
Portanto, o comboio é um bom sítio para cortar as unhas... aparentemente. (estranhamente, só cortou as de uma mão...)


Cenas que a gente disse

O amor é sobrevalorizado.
Andamos uma vida inteira à procura dele e não sabemos aproveitar quando o temos (porque criámos imagens daquilo que devia ser e isso acaba por não corresponder à realidade). Ou só lhe damos valor quando já não o temos.

Desabafo #2

No final do filme A minha namorada tem amnésia, a namorada do título, depois de ter sido conquistada pelo Adam Sandler, tem que ver um VHS todas as manhãs, para se lembrar de quem é, de onde está e de com quem está.
Sinto que tenho que fazer o mesmo... Não porque tenho amnésia, mas porque tendo a esquecer certas coisas propositadamente e depois volto sempre a cair nos mesmos erros, por achar que isto me faz bem e que desta vez é diferente. Mas não, não é diferente e eu só me estou a enganar a mim próprio.

1.12.14

Desabafo

Odeio chegar ao fim do dia e ter de o declarar como um dia muito pouco produtivo. Amanhã será outro dia, mas o tempo está a esgotar-se e os exames estão quase aí.

30.11.14

27.11.14

Current State of Mind

Vim passar o fim de semana a casa. Sem aulas à Sexta e com umas trocas de aulas, consegui vir hoje. Já cá não vinha há um mês.
Decidi dedicar a noite à leitura de blogues, coisa que já não faço há algum tempo e que devia fazer mais frequentemente, para evitar acumular 300 e tal posts. Depois custa ler tudo de seguida...
Enfim.
Ainda não li tudo, devo ir a metade, mas um dos temas recorrentes tem sido o amor.

Eu já estou solteiro à uma data de meses, não que os ande a contar. Tem alturas em que me sinto sozinho, carente. É nestas alturas em que penso que era preferível não ter amigos, porque aí sim: a sensação de solidão era justificada. Pensamentos parvos, eu sei. Mas há outras alturas em que eu não me importo, já estou habituado a estar sozinho. Vão acontecendo algumas coisas físicas e nada mais e eu consigo viver assim... Vivo assim até ao dia em que tenho falta de algo mais profundo do que uma ligação puramente física com alguém.

(Um aparte: tenho andado afastado do blog por preguiça e porque aquilo que gostava de falar parece-me íntimo de mais para eu escrever aqui, quando há pessoas conhecidas a ler isto. O anonimato é uma coisa fantástica... Isto vê-se pela minha relutância em dizer que tenho tido one night stands... Oh well... Mas por acaso, nos últimos meses tem sido mentira. Tenho um amigo colorido, mas eu queria que fosse ainda mais colorido, daí o post. E vou ficar-me por aqui.) 

Li um post sobre o primeiro amor. Quando o perdemos, sentimos que nunca mais vamos voltar a amar da mesma maneira (e não vamos), mas mais do que isso, sentimos que nunca mais vamos encontrar alguém. Bem sei que a culpa foi minha, contudo não posso deixar de me sentir assim (tendo a agravante de que eu dei cabo daquilo tudo). E esse é um dos meus medos. Por um lado, sinto que estou a desperdiçar estes anos (não que seja culpa minha), por outro lado, tenho medo de acabar sozinho... Este mundo (gay, entenda-se) é uma cena muito complicada. E se houve algo que aprendi este ano é que não se pode confiar em ninguém. I mean, a quantidade de gente que já meteu conversa comigo a querer sexo e que tinha namorado... Outro dos meus medos: não conseguir voltar a confiar plenamente em ninguém, para uma relação. É triste. Eu sou triste.

That was it, I guess.

15.11.14

Intersetellar

Só passei para vos dizer que o Interstellar é um filme com conteúdo. Muito conteúdo. Livrem-se de afazeres por 3 horas e vão ganhar uma experiência cinematográfica brilhante. Ficção científica no seu melhor. Nolan no seu melhor.

6.11.14

Por agora, sinto que tenho o semestre sob controlo, mas sinto que eu é que estou a perder o controlo. Pronto, vá, não sejamos dramáticos, só estou num daqueles dias em que quero estudar, sei que tenho de estudar, mas não consigo levar-me a agir... E sinto-me cansado.

2.11.14

Longe de casa

A parte mais difícil de estudar numa universidade que fica longe de casa é ter que faltar àquelas reuniões familiares que acontecem todos os anos, uma espécie de tradição sagrada que se cumpre religiosamente todos anos.
Engraçado como era um sacrifício ter que ir, em anos anteriores, e agora dou por mim a ter saudades disso...

21.10.14

Ele decidiu ficar com o namorado. Acho que devia ficar um pouco triste. Mas ficar triste seria admitir que gosto dele e eu não quero isso.

10.10.14

Eu estive envolvido com alguém. Esse alguém entretanto arranjou namorado. Eu envolvi-me de novo com ele.
O que é que isso faz de mim? Sou má pessoa?
E o que é que isso faz dele? Uma pessoa ainda mais horrível?

4.10.14

I'm a big boy now!

Se o meu primo de 9 anos soubesse o que crescer implica, não teria invejado os meus 19.

P.S: Sim, fiz anos na terça feira. Não gosto muito de fazer anos, até escondi a informação de toda a gente, no facebook. Tenho cada vez menos certezas.

3.10.14

Era eu ter dinheiro e comprava a discografia toda do Tiago Bettencourt (e se ele viesse incluído, eu não me ia importar).

1.10.14

Pormenores

Se há uma coisa que me causa imensa repulsa num gajo é o facto de ele não ter as unhas cortadas.

30.9.14

Assusta-me pensar que daqui a um ano estarei a fazer 20 anos.

19.9.14

Poesia que me descreve

"(...)Ah, poder ser tu, sendo eu!
Ter a tua alegre inconsciência,
E a consciência disso! Ó céu!
Ó campo! Ó canção! A ciência

Pesa tanto e a vida é tão breve!(...)"

18.9.14

Seguimento do post anterior

Hoje, durante a teorico-prática de Fundamentos de Biologia Molecular, onde estamos a colmatar as falhas de Genética que temos, o professor, ao falar de genes e ao responder a uma dúvida sobre o que era determinado pelo genoma, o que era condicionado pelo ambiente e as predisposições genéticas que temos, disse que no genoma podia estar um gene que fizesse com que tivessemos maior predisposição ao alcoolismo ou a tendências homossexuais.
Ponto 1: Aqui está a prova de que isto é tudo natural e não sou (somos) aberrações nenhumas.
Ponto 2 e a razão por que estou a escrever este post: uma das minhas amigas que tem aula comigo virou-se para mim, mal o professor disse isto.

Não sei porque raio isto tudo me anda a incomodar. Quer dizer, é como se o facto de eu ser gay me definisse completamente, fazendo com que tudo o que envolva gays tenha também de me envolver a mim. É um pouco frustrante, sinceramente...

16.9.14

Pensamentos

É giro estar out & proud e ser aceite pelos amigos, mas quando os amigos estão sempre a pedir desculpa por fazerem/dizerem coisas sobre os gays, torna-se chato.
Pronto, era só isto, não queria entrar muito em detalhe...
O regresso à escola está a correr bem, mas as aulas de apresentação são a coisa mais chata de sempre, enfim... Preciso que comecem a dar matéria, para estabelecer uma rotina de estudo. É de rotina que preciso... As férias desregularam-me todo.

12.9.14


Descobri este fabuloso senhor no outro dia. É relaxante. Faz-me lembrar o Chet, somehow.
Para além disso, esta letra é fantástica!

31.8.14

Six Feet Under

I AM A MAN!

Para ver até ao minuto 4:26. 

P.S: Comecei a ver esta série por causa do Michael C. Hall e fiquei viciado. 

29.8.14

Ultimamente as minhas noites têm sido sempre iguais, desperdiçadas com actividades de natureza leviana. Mas hoje não.
Tomei um banho antes de jantar, arranjei as unhas das mãos, esfreguei creme no corpo todo. Vi um filme e depois decidi ir ler blogs, que há muito que não o fazia e tinha muita coisa em atraso. Tendo Chet Faker como companhia, dou por mim a esta hora a desejar que fosse mais cedo, por um lado, porque ainda não li tudo o que está em atraso, por outro lado porque tenho tentado acordar por volta das 10 da manhã, com cerca de 8 horas de sono, o que faz com que as duas da manhã seja o meu limite.
Mas já sentia falta disto: de estar às escuras no quarto, a ouvir música e a fazer algo de útil no computador. Gosto do silêncio para lá da música, desta quietude, desta solidão. Sou uma criatura da noite, afinal.
Pode-se domar uma criatura, mas nunca se pode tirar a verdadeira natureza do seu espírito, que é o que eu tenho andado a fazer: a domar-me, a acordar de manhã, a horas decentes e não ao meio dia ou depois disso, resultado de uma noite que acabou tarde.

Sophie's Choice


One of the most heartbreaking moments in Hollywood history.

P.S: Acabei agora de ver o filme. Achei-o terrivelmente chato e com muito pouco sentido, contudo, é impossível de negar que a Meryl Streep teve uma performance brilhante (também só vi o filme por ela...).

22.8.14

Uma coisinha rápida sobre um assunto que acho importante

Não sei se já viram nas bancas a Sábado desta semana, mas o tema de capa é "Descobri que o meu marido é gay".
Embora seja uma reportagem interessante (eu já a li), que aborda a vertente feminina da questão e o sofrimento por que estas mulheres passam, acho que se deveria ter focado também nas razões que leva os homens a fazer isto. Isto é, analisar a pressão que os homens recebem para arranjar um emprego, casar e formar família, bem como o facto de que ainda somos demasiado fechados (nós, enquanto sociedade) no que toca a explorar a nossa sexualidade, porque é dito que muitos deles nem sabiam que gostavam de homens!
Como estou de férias e, para variar, me levanto às 10h, tenho ouvido, de vez em quando, o Dr. Quintino Aires (ele pode ser tudo e mais alguma coisa, que sei que há gente que não pode com ele, mas eu gosto de o ouvir e nisto concordo com ele) no Você na TV e o ponto que ele defende sempre, a problemática para onde todas as questões vão desembocar (seja quando ele fala de crimes que aconteceram, seja quando está no consultório aberto) é a falta de educação sexual nas escolas. Precisamos de discutir sobre isto! E não só para termos pessoas esclarecidas e sem medos daquilo que são, mas para que também saibamos construir uma relação! Porque também é preciso de falar de afectos...

18.8.14

É estranho sentir, de cada vez que venho a casa, que isto é cada vez menos a minha casa? 
Mas, então, onde raio pertenço eu?

13.8.14

O sangue

Lembro-me de, há 5 anos atrás, estar no sítio onde estou - a casa da minha tia - a ver a RTP Notícias. O que estava a dar era uma notícia sobre o impedimento de homens que fazem sexo com homens darem sangue. Senti-me tão injustiçado! Embora nessa altura ainda não fizesse parte desse grupo, apercebi-me, pela primeira vez, de que um dia iria fazer parte desse grupo, isto é, pela primeira vez tomei consciência de que gostava de homens, de que era homossexual, e aquela notícia deixou-me triste, porque não tinha noção do tamanho do preconceito a que pessoas como eu estavam sujeitas.
Foi no dia 13 de Julho.
Depois de todo este tempo muita coisa mudou: eu contei à pessoa em quem mais confiava (e confio) no mundo, contei aos meus pais e comecei a aceitar-me e a fazer com que isso fosse a minha arma: sim, sou gay e depois? Hoje não escondo de ninguém: se me perguntarem, não tenho problemas em dizer, se bem que há quem não precise de saber com quem eu vou para a cama.
Enfim, tudo isto, para dizer que ontem voltei a sentir-me injustiçado, quando deu a cena com o casal homossexual da novela da TVI "O Beijo do Escorpião", em que o "mais experiente e homossexual assumido" diz ao namorado, que descobriu que gostava de homens quando descobriu que gostava dele, que não podiam dar sangue porque eram homossexuais.
A reacção dele e a sua revolta também tinham sido as minhas!

27.7.14

Estávamos a falar de valas comuns e uma menina pergunta o que é.
Eu expliquei: é uma vala, onde põem os mortos ao monte. Geralmente fazem-no quando acontece uma tragédia...
O senhor que estava a contar a história (qualquer coisa na Bósnia) disse: Não, neste caso foi por causa da guerra...

Como se a guerra não fosse uma tragédia...

22.7.14

O que é que tu queres? - pergunta o meu cérebro ao meu coração. Mas o meu coração não responde porque não tem ouvidos, nem boca, só que o meu cérebro também não tem boca para comunicar desta maneira com os outros órgãos do corpo e nem tem ouvidos para ouvir uma eventual resposta por parte do meu coração.
Assim, tudo isto não passa de um monólogo dentro da minha cabeça, eu pergunto e ninguém responde, porque não há respostas.

16.7.14


"We don't all like and dislike the same things... Well, except for penis" 
Concordam? HAHA

14.7.14

Venho para a terrinha e toda a gente me chama lisboeta. Não sei porque é que isso me irrita, mas irrita.

Cenas e isso

Já estou em casa... Não sei se hei-de estar contente ou se hei-de chorar. Talvez chore, porque isto é no fim do mundo e a minha vizinha está a fazer obras, portanto, é batuque todo o dia! Ainda se algum dos homens das obras fosse jeitoso, mas não, cá não há disso, é só em filmes americanos. É pena.
Estava a gostar destes últimos dias em Lisboa, ficava até tarde a ler e a ouvir The Smiths, acordava tarde e fazia o que me desse na cabeça.
Enfim... Agora não me posso deitar muito tarde, porque sei que ao meio dia tenho de estar na mesa. Ugh, odeio almoçar ao meio dia! Para almoçar ao meio dia, tenho que acordar às 10, para ter tempo de tomar um pequeno almoço decente e depois ganhar fome para o almoço. Mas a hora de almoço do meu pai é ao meio dia e por isso almoçamos todos juntos, claro.
Vou começar a alimentar-me melhor aqui: mais peixe, mais legumes, mais sopa... Refeições a horas decentes e se saltar é só o pequeno almoço, que é menos mal do que saltar almoço, lanche e jantar e comer a horas indecentes. Vou tentar fazer mais exercício físico, que sinto que ando a ficar sem ritmo e isso é mau, quer dizer, o sexo é um bom exercício, mas não se exercita tudo!...
Peso 57kg. Tenho andado a emagrecer. Mas nem é por comer mal, porque em Janeiro/Fevereiro, passei dos 63kg para os 59kg e agora para os 57kg... E naquela altura até comia bem.

Mas fico contente por não ter que me preocupar em cozinhar e isso, o que já é bom, porque eu sou péssimo... Vá, não exageremos, desenrasco-me mais ou menos se for preciso, mas não vou ser nenhum chef.
O problema é que esta região é super quente e seca, portanto, a produtividade durante o dia deve baixar imenso... Talvez aproveite para ver uns filmes e por em dia algumas séries. E ler, ler muito!

A propósito de ler, preciso de prateleiras novas no meu quarto, que devo ter trazido uns 20 livros (sem exagero) de Lisboa e já não tenho sítio onde os pôr. Mas gosto tanto!

Até à próxima.

P.S: Convidaram-me para ir passar uns dias à Ericeira em Agosto. Acho que vou. Quero praia! Mas também quero Algarve! :(

Ainda sobre a minha alimentação

Ontem comi uma taça de chocapic à uma da tarde e depois um balde de pipocas e meio litro de ice tea às 7 da tarde, ali no CinemaCity do Campo Pequeno, que fui fazer uma sessão dupla (A Culpa É Das Estrelas e Maléfica) sozinho.
Às duas da manhã estava a comer bacalhau com natas...

13.7.14

A Culpa É Das Estrelas

Sinto-me que nem uma pré-adolescente a suspirar ao ver um romance lindo. Mas a verdade é que gosto mesmo desta história!
Ontem fui ver o filme e depois comprei o livro. Já o tinha lido, mas quis relê-lo, pelo que passei grande parte da noite a ler. Queria acabá-lo, mas não consegui
Agora, cheguei à parte onde ele diz à Hazel Grace:
Seria um privilégio ter o meu coração partido por ti
Que é só uma das melhores declarações de amor de sempre e me pôs o olhos húmidos! 
Não gostei tanto do filme, como gostei do livro, porque o livro é muito mais que o romance deles, contudo, chorei também ao ver o filme!
Estou a tornar-me demasiado sentimental...

P.S: Tenho que comprar a versão em inglês e voltar a ler o livro.

11.7.14

Optimus Alive

Senti-me que nem fiambre no meio de uma sandes, estive cerca de 8 horas em pé, com pouca água e pouco espaço, mas, apesar de tudo, valeu a pena e foi fantástico!
Vi todos os concertos do Palco NOS, mas aqueles que me interessavam era o concerto dos The Lumineers e dos Imagine Dragons (e dos Arctic Monkeys).
Adorei os Lumineers e ainda mais o vocalista deles, que passa a ser, a partir deste momento, o meu tipo de homem! E ontem estava com uma barba muito maior, mas com aquele chapéu. Enfim... 
Mas o momento mais fantástico foi aquele em que o Wesley (este menino aqui ao lado, o vocalista dos Lumineers) pediu para todos baixarem os telemóveis e apreciarem o momento. Isto foi durante o "Ho, hey". Achei muito bem! As pessoas parecem mais preocupadas em gravar os concertos, do que propriamente apreciá-los no momento e eu acho isso parvo, para além de que as câmaras no ar, reduzem o campo de visão para o palco... 
Outra coisa parva, é as pessoas sentarem-se no meio da multidão, entre os concertos. Mas querem morrer espezinhadas ou quê? Juro que não sei o que deu a certas pessoas para se sentarem, quer dizer, sei, cansaço, a questão é que aquilo podia ter corrido mal! 
Oh well...
Imagine Dragons partiram aquela merda toda! Foi do melhor! Li um artigo do público a dizer que eles não eram nada de novo nem original e que nem se percebia como é que tinham sucesso... As críticas dos jornais portugueses irritam-me, porque parece que nunca nada está bem, que tudo é medíocre e péssimo. 
Mas falava dos Imagine Dragons. Eles são fantásticos em palco e existe muita dinâmica entre eles e o público, o que dificultou a tarefa para os outros que vieram a seguir: Interpol.
Não conhecia nada da banda, portanto, não estava muito interessado no concerto deles, bem como a maior parte do pessoal que ali estava, pelo que eu conseguia ver e ouvir. O que a maioria queria eram os cabeças de cartaz: Arctic Monkeys! No entanto, deram um bom concerto.
Foi penosa a espera pelos Arctic. O meu grupo de 4 ficou reduzido a 2, quando duas das minhas amigas foram embora durante o concerto dos Interpol, porque a sede e a vontade de recuperar o espaço pessoal era maior, do que estar ali à frente a ver Arctic Monkeys. Tive vontade de fazer o mesmo, porque só conheci Arctic este ano e só ia ouvindo com frequência o AM (último album), mas não queria deixar a minha outra amiga ali sozinha no meio da multidão, ela, que é super fã deles e já sabia que iam começar com Do I Wanna Know e que iam ter encore onde iam tocar 3 músicas de seguida. Gostei do concerto, embora a interacção com o público não fosse tão grande. Não conhecia algumas músicas, mas diverti-me na mesma. Para mim, o melhor momento foi quando cantaram a 505, que é uma música de outro album e que ninguém estava à espera que cantassem, porque é a minha música favorita deles!
Fiquei com uma voz diferente e super sexy, com uma bolha no dedo mindinho do pé direito e com uma dor de pés e pernas que nem vos passa pela cabeça, mas hoje, se pudesse, repetia a dose! 
Para o ano, se o cartaz for tão apelativo para mim como este ano, quero ir os 3 dias!

P.S: Os gays andaram por lá. Isto é, havia lá uma bandeira arco-íris a certa altura. 

10.7.14

Hoje é dia de...

Optimus Alive!

E de rever os amigos da minha cidade, que não via desde Fevereiro!

8.7.14

Estou de dieta... mas não.

Derivado da preguiça e do facto de estar em Lisboa sem ninguém que controle, hoje comi super mal!

Pequeno almoço às 12.40: chocapic com leite
Almoço: não houve
Lanche às 17: dois hamburgers da europoupança do McDonalds
Jantar às 22.10: Sopa, pão com manteiga e um copo de compal de frutos vermelhos.

6.7.14

O sítio onde se janta é importante

O mesmo rapaz deste post onvidou-me para ir jantar. Perguntou-me de que é que eu gostava e respondi-lhe que gostava de italiano, indiano (mas sem o picante) e essas coisas... E aconselhei aquele restaurante indiano na Avenida Brasil.
Depois de muita hesitação e muito enrolanço lá disse a fatídica frase: estava a pensar levar-te à Portugalia.
Não fomos jantar.

5.7.14

O  meu padrinho pergunta-me:
Queres pipis?
Ia-lhe responder:
Sim, porque os gays adoram isso! 
Mas só lhe disse que não.

Saber falar é importante

Conheci um rapazinho que estava constantemente a dizer fizestes, dissestes, comestes... Aquilo irritava-me de tal maneira, que deixei de falar com o moço.

3.7.14

Update

Decidi desistir, mesmo.
A quantidade de coisas que tinha que decorar até sexta feira era estupidamente grande e eu odeio decorar! Sim, eu sei que já devia ter começado a estudar, mas desleixei-me, tomei decisões erradas e assumo isso, mas acho que agora estou a fazer o mais correcto, até porque, mesmo que fosse fazer o exame eu sabia que não ia passar. E se, por algum milagre, conseguisse ter 9.5, ia ser uma nota de merda e depois talvez fosse repetir e ia perder mais tempo...
Portanto, decidi que vou fazer a cadeira no próximo ano, mesmo sabendo que tenho 6 cadeiras e que ainda não sei se passo a duas cadeiras este semestre.
Já falei com os meus pais sobre isto. Eles disseram que eu devia tentar, que depois logo se via... Mas eu estou cansado, ia estar a matar-me para nada. Eu sei que não consigo! Já disse isto no post anterior: há que saber reconhecer quando não conseguimos fazer algo e eu não consigo fazer isto agora!
Tive uma discussão com o meu pai...
Eu não gosto muito de falar com ele, porque a conversa anda sempre em torno do mesmo, não evolui e isso irrita-me. Disse-lhe que não tinha estudado, que me tinha desleixado este semestre e sempre que eu dizia que não valia a pena ir ao exame, a conversa que se desenrolava era a seguinte:
-Então porquê?
-Porque não sei nada!
-Não estudaste?
-... [exasperação]
Irrita-me andar sempre em círculos e por isso comecei a mostrar irritação e impaciência. Ainda mais quando ele disse que a conversa ficava por ali, que "eu já estou a ver que não dá para falar contigo". É só a pior coisa que me podem dizer! Mas no final disse que eu fazia como entendesse, mas que no próximo ano não tinha desculpa nenhuma, porque este ano tinha servido para eu aprender.

Esta situação levou-me a pensar num amigo meu que mora aqui ao lado, do meu curso e que passou a uma cadeira este semestre e que vai chumbar o ano porque não fez o mínimo de cadeiras para que pudesse passar. Não sei como reagiram os pais dele ao facto de ter chumbado a tanta coisa, mas ele não pareceu mudar o comportamento no segundo semestre. Mas eu tentei! Eu estudei muito mais neste semestre do que no anterior, mas algo correu mal e eu vi-me, de repente, nesta situação desesperante! Sei que tenho que me esforçar ainda mais, mas com o tempo irei lá chegar...
De qualquer maneira, o que queria dizer é que houve imenso drama com isto! Já por ter chumbado a uma cadeira no primeiro semestre e por deixar outra agora... É como se os tivesse habituado a ter notas mais ou menos boas e agora estivesse a descer e eles não gostassem. Se ao menos eu tivesse tido sempre notas de merda, eles não iriam reclamar tanto. Não, é mentira e eu não era capaz de fazer isso...

Sinto-me inseguro quanto a isto, mas acho que é o melhor a fazer... Apetece-me adormecer e não voltar a acordar, porque eu adoro quando estou a sonhar... O mundo na minha cabeça é muito melhor que o mundo fora dela.

2.7.14

Near the end

Porque é que não me deixam desistir já?
Uma coisa é ter uma atitude pessimista de que nunca se é capaz de nada, outra, completamente diferente, é conhecer os nossos limites.
Estou cansado, foi um mês esgotante por minha culpa, que me desleixei ao longo do semestre, pelo que sei que não vou conseguir, de hoje até sexta às 9 da manhã, decorar tudo aquilo que tenho que decorar para conseguir passar no exame. Não dá, até porque eu nem gosto de decorar.
Sim, se chumbar este ano, terei de repetir no próximo ano, em que vou ter 6 cadeiras no segundo semestre. Então, porque não fazer um último esforço, abandonar a atitude derrotista e deitar mãos ao trabalho? Porque estou cansado, muito cansado.

1.7.14

Namorado, vê lá se conheces o rapaz que canta!

É a minha mãe

Adoro o facto de a minha mãe conseguir perceber quando eu estou mais em baixo, só por me ouvir ao telefone. Adoro, mas confesso que me assusta um pouco (tenho um problema em falar dos meus sentimentos com outras pessoas...).
E adoro também o facto de ela me encorajar a não desistir e que já falta pouco para chegar ao fim, o próximo ano é outro ano e os erros que cometi neste não os posso cometer no outro, mas, para o bem ou para o mal, ela estará lá.
Era tudo o que precisava de ouvir hoje.

28.6.14

Ele | Desistir | Continuar

Ele não o disse por mal, eu sei que não. E eu também não o levei a peito, mas aquela sua pergunta deixou-me a reflectir, mais uma vez, sobre o tipo de relação que temos.
O que é que eu vou falar com ele?
É certo que já tínhamos falado hoje, contudo, não posso deixar de analisar todas as conversas que tenho com ele, comparando-as com as que tenho com ela. Mesmo estando longe, eu e ela continuamos a falar imenso, creio que até mais, do que quando estávamos mais perto, mas com ele, as coisas não mudaram para melhor: falamos pouco e as nossas conversas por telefone são pontuadas por silêncios constrangedores, em que cada um tenta chegar ao outro, mas falha miseravelmente. Há, por vezes, momentos, em que nos conseguimos ligar, mas são tão raros e tão breves...
Já não é a primeira vez, nem será a última, que escrevo sobre isto, sobre a minha relação com ele. Devia certamente parar de me queixar e tentar agir, mudar as coisas, mas eu sou demasiado como ele, demasiado reservado; os sentimentos são coisas minhas, prefiro guardá-los todos para mim, porque, desse modo ninguém me pode magoar. Mas acabo magoado, quer queira quer não e já devia saber que esta estratégia não funciona, mas... é mais forte que eu!
Não tinha intenção de escrever aqui hoje, sobre isto ou sobre outra coisa qualquer, mas ando preocupado, assustado e hoje, mais do que nunca, abateu-se sobre mim uma solidão imensa. É nestes momentos que só penso em desistir...
Contudo, de alguma forma, arranjo sempre maneira de conseguir ir em frente. Será coragem? Eu penso que não, penso que é, simplesmente, a cobardia de não querer, de não conseguir agir.

23.6.14

Três músicas de três bandas que descobri recentemente



(ide ao spotify e ouvi a versão acústica de Bloodflood, que é divinal!)

Tenho vergonha de Portugal

Vocês não têm noção dos nervos que me dão os discursos patrióticos que aparecem no Facebook, de gente a dizer que nunca terá vergonha de Portugal, que é Portugal até morrer e que acreditam sempre. Mas vai-se a ver e o conceito de Portugal dessa gente reduz-se a uma só palavra: futebol. Acusam os que ainda antes do jogo de ontem ter acabado, já estarem a fazer comentários negativos, mas eles não, eles ficaram até ao fim e tem muito orgulho em serem portugueses e não têm vergonha nenhuma!

Puta que os pariu a todos, que vergonha é aquilo que mais sinto quando vejo os noticiários e vejo a miséria em que este país está e a miséria de políticos que temos.
Foda-se mais para essa gente tão patriótica! Com gente assim, como é que Portugal está na merda em que está?!

21.6.14

Reflexões de um heterossexual que não quer complicações

Entra um amigo meu na sala de estudo da residência e diz-me:
-Vou-te contar um segredo: as gajas são muito complicadas. Um gajo até podia virar gay para se livrar da complicação, mas sabes... Os gays são na mesma! Isto é uma merda...

20.6.14

O pénis do namorado

Conseguiriam, por ventura, vocês, pessoas que estão comprometidas com o vosso mais que tudo, adivinhar qual era o pénis dele, estando com uma venda nos olhos e havendo uma fila de homens?


Toda a notícia aqui!

Ainda o Reader

Lembra-se deste post? Pois bem, o Aaron Suzaku disse que usa o Inoreader e que é muito bom e tal... Pois bem, está uma alternativa ao feedly. Eu estou a experimentar e até agora não me tem dado problemas!

Zambujo e amigos

Pois que ontem fui ver um dos concertos da NOS. Um espectáculo de luz na fachada da câmara, meia hora de atraso, mas valeu a pena!
Música portuguesa é aquilo.

14.6.14

Desespero a meio do estudo

Matai-me já! 
Oh, sempre é melhor que morrer lentamente. Sempre é melhor morrer já, do que sofrer em agonia excruciante até ao último suspiro e só Deus sabe quanto tempo pode isso demorar. Até o faria eu mesmo, mas sou covarde. 
Por favor, tenham misericórdia deste pobre homem que se ajoelha perante vós, e façam o que ele vos pede. Não tenho riquezas que vos possa dar, mas vós sois conhecidos pela vossa bondade e compaixão, por isso, rogo-vos, ajudai-me! 
Matai-me já, que ainda consigo suportar o sofrimento. Matai-me agora, que ainda tenho quatro exames para fazer, logo, quatro cadeiras para passar e estou a ver o cenário a ficar muito negro!

Porque é que eu não estudei durante o semestre?

13.6.14

Dos Santos


  • Muita bicha na rua
  • Muito gajo lindo, com gandas rabos e camisas de cavas (é uma perdição! Ai calores!)
  • As marchas são uma coisa muito gira, mas não vi tudo!
  • A idade pesa! Se eu acordar às 7.30 da manhã, fizer um exame de hora e meia e não fizer mais nada o resto do dia, fico a morrer de sono às 23.30. Andei pela Avenida da Liberdade e fui dar ao Terreiro do Paço, nem subi aos bairros típicos nem nada, tal era o estado, mas para o ano há mais. À uma estava na cama. Sozinho. 

12.6.14

Confesso que me entusiasmei... ;)


O Robb Stark de Guerra dos Tronos! Apesar do final da cena, confesso que gostei!

Gays in Science


Comecei a ver os videos deste canal na semana passada e são muito interessantes. Obviamente que já me tinha apercebido que eles jogavam na minha liga, mas não sabia que eles estavam juntos, o que torna tudo mais fofo! 

10.6.14

Que reader é que usam?

Estou a usar o feedly para ler os vossos blogs, mas estou-me a sentir insatisfeito, pelo que ando à procura de alternativas.
Saudades que eu tenho do Google Reader!

6.6.14

[Sem Título]

Quando menos se espera, aparece alguém na nossa vida que nos faz questionar aquilo que tomávamos como certo.  

3.6.14

Sansa Stark: a rapariga que não é nada sonsa!

Sei que sou um nerd quando tenho discussões acesas com pessoas acerca de personagens fictícios de livros, filmes ou séries. Mas isto de eu ser nerd não constitui novidade nenhuma para mim.
[Não vou fazer spoilers do episódio desta semana, mas vou falar sobre coisas de temporadas anteriores... Não quero estragar a série a ninguém!]

2.6.14

Gays are everywhere now!

Já andava para falar disto há algum tempo. Vi esta notícia agora no facebook e... Eu não sei bem explicar, mas chateia-me um pouco isto ser notícia.
Esta novela tem um personagem gay, aquela novela tem outro, o final desta novela teve um beijo gay...
Epah, às vezes penso que eles se cagam para nós e que só fazem isto para ganhar (a nossa) audiência, tipo o Cláudio Ramos que andou a dizer mal das bichas e que era um homem cristão e depois vai de lançar uma linha de alianças para homossexuais, com o seu "companheiro" ou lá o que é, o Pedro Crispim.
Tal como muita gente gosta de dizer que não é um casamento gay, é um casamento, ponto, então talvez devessemos começar a fazer o mesmo em relação às outras coisas, digo eu...

Porque é que isto me chateia tanto? Não sei, dormi pouco hoje e estou cansado.

1.6.14

Errar, errar, errar

Apetece-me castigar-me por ser estúpido e não aprender à primeira com os erros que cometo. Preciso de repetir o mesmo erros uma e outra vez para perceber que, talvez, não devia fazer as coisas desta forma e mesmo assim, sou capaz de insistir mais um pouco só para ter a certeza.
[A partir daqui é o descalabro total, não se sintam obrigados ler. Apenas tinha que o deitar para fora. Foram avisados.]

31.5.14

Ai que eu choro quando ouço isto!

Serei uma pessoa solitária?

No outro dia disseram-me que eu parecia ser um solitário. E, apesar de me ter mostrado chocado e de lhe ter perguntado se era assim que ele me via, a verdade é que também é assim, em certa medida, que me vejo. 

Mais tarde, ainda com a mesma pessoa, disse que queria ficar de férias, não ter obrigações como estudar, mas estar em Lisboa, para poder ir para um sítio sossegado ao ar livre com um livro e ficar a ler até me cansar. A reacção dele foi parecida à dessa senhora aí ao lado, a grande Liz Lemon de 30 Rock, e eu ri-me. Mas a verdade é que isto acontece tantas vezes: eu a fazer planos para sozinho. Ainda na terça-feira fui ao cinema sozinho ver o novo X-Men. Às vezes, simplesmente, não tenho paciência para estar a combinar coisas, as pessoas são complicadas, demoram muito a responder e cansam-me! 

Outra coisa que me aconteceu esta semana e que me fez pensar pensar no quanto gosto de estar sozinho e que me motivou a escrever este post, foi a semana fora que ele foi passar não sei onde, na Europa. Quem é ele? Alguém que conheci, em sítios poucos recomendáveis. Temos "saído" algumas vezes e vamos falando.
Ele é mais velho, mas não muito mais. Se no princípio fiquei encantado por ele, ao ponto de ele me dizer para não me apaixonar por ele, primeiro, devido à diferença de idades, e depois, porque a paixão era uma merda (foi a palavra exacta que ele usou), agora, que estivemos afastados quase uma semana, sem falar quase nada, apercebi-me que não sinto nada de especial por ele e que provavelmente não o vou sentir por mais ninguém e que me sinto fantástico sozinho. Posso estar a exagerar quando digo que não vou sentir algo de especial por mais ninguém, porque não sei o futuro, mas tanto pode acontecer que me apaixone, como pode acontecer que morra amanhã ou algo do género, nunca sabemos.
Agora vocês devem-se estar a perguntar: então mas não és tu que te vens queixar que estás farto de ti próprio, de te aturar e que te sentes muito sozinho? Sim, é verdade, sou eu. Mas vejam que cheguei até aqui, continuo sozinho e já percebi que por vezes tenho umas "crises existenciais" que me fazem duvidar de mim e do meu valor. Quando isso acontece, sei com quem posso contar, para desabafar e para me ajudar a abrir os olhos e a ver que, pelo menos, tenho algum valor para alguém, embora me custe falar sobre aquilo que sinto (o que é um contra-senso, visto que tenho um blog onde falo de mim, mas a dinâmica é diferente).
Em suma, é isto, gosto dos momentos que tenho com os meus amigos e gosto deles de verdade ao ponto de os querer mandar para sítios feios em certas situações, mas adoro todo o tempo que passo comigo e com um livro e com boa música. 

29.5.14

Feira do Livro e outras coisas

Já estou em casa. Escrevo-vos directamente da minha cama e é como se estivésseis aqui todos comigo (salvo seja, se bem que, está frio por estas bandas).
Hoje fiz ronha na cama até quase às 11 da manhã (há muito tempo que não ficava na cama até tão tarde, tipo, 1 mês, nem fins-de-semana nem nada!), faltei a uma saída de campo obrigatória, às 10 da manhã, mas era a última aula e nunca tinha faltado, para além disso, as faltas são para se dar!
À tarde fui à feira do livro. Nunca lá tinha ido, não sabia como é que era, mas digo-vos que fui lá tão feliz! Comprei o 1984 do Orwell (que ando numa de distopias depois de ter lidos o Nós do Zamyatin) e fiquei com vontade de comprar muitos mais. Preciso urgentemente de ganhar o Euromilhões!
Enfim, gostava de aproveitar a feira para comprar: os últimos 4 volumes de Guerra dos Tronos, que estão a 13 euros contra os 19 do resto do sítio e aproveitar os livros do dia para comprar a Divina Comédia e o Dom Quixote, que vão ficar a menos de 10 euros. Se pudesse comprar A Culpa é das Estrelas, seria fantástico, mas eu já o li e, portanto, agora, não é uma prioridade. A minha mãe disse que o podia comprar e oferecer-lho no dia de anos (2 de Junho), mas preferi não o fazer e oferecer-lhe algo mesmo para ela, só ainda não sei o quê, mas já procurei ajuda!
Tenho que ver as sessões de autógrafos. Há pelo menos uma que me intessa: aquela com José Luís Peixoto, tenho dois livros dele, mas ainda só li um e o que li, gostei! Um comprei-o eu e já o li e o outro ofereceram-mo e é sobre um tema que ainda não me desperta muito interesse (é o Dentro do Segredo, sobre a visita dele à Coreia do Norte), por isso e pela falta de tempo ainda não li.
Este Verão, isto é, a partir de amanhã, quero ver se leio toda a saga de Guerra dos Tronos. Já tinha começado a ler e até já ia no quarto livro em português, mas havia coisas que já não me faziam sentido, pelo que decidi parar e recomeçar do zero. É óbvio que vai ser complicado, pois já vi a série e já sei o que acontece, tirando muito do entusiasmo da descoberta, mas, se conseguir fazer isto, quando chegar mais à frente na saga, posso-me surpreender com os livros, em vez de o fazer primeiro com a série e só depois com os livros, isso foi algo que ainda não me aconteceu.
Pronto, era isto... Tenho mesmo muita pena de não ter mais tempo para ler, porque obviamente, sinto-me muito mais feliz com um livro atrás!

P.S: Já decidi que um dia tiro um ano sabático para ler muito, ver muitos filmes e séries e ficar obeso pelo caminho!

28.5.14

Cidades

Ontem estava a falar com um amigo da minha cidade e ele estava a dizer que não sabia se devia vir para Lisboa. Por um lado, não queria levar os pais à falência, mas por outro, não aguentava ficar naquela cidade muito mais tempo.
Acontece-me o mesmo a mim. Cada vez que lá vou, sinto que cada vez me sinto mais longe daquela cidade, no entanto, sinto-me cada vez melhor em casa, sempre que lá estou, bem como me sinto bem na calma pachorrenta da minha aldeia.
Adoro Lisboa, adoro o movimento, a confusão, o barulho... Mas como só estou aqui com o propósito de estudar, é óbvio que às vezes queira deixar isto tudo para trás e ir para a minha casa e o meu quarto! É como me sinto hoje: desejoso que amanhã chegue depressa para me enfiar no comboio e ir para casa. Vou ter que passar os dias a estudar, mas, pelo menos, a comida é feita pela minha mãe.

26.5.14

Quando chega um rapazinho giro e se senta na mesa ao lado e tu não queres que ele fique com má impressão de ti, mas depois tens que te assoar, porque estás constipado e é uma barulheira desagradável a que fazes a assoar-te... Eu achava que estávamos em Maio, vai-se a ver e perdi-me, afinal estou a estudar para os exames do 1º semestre de um ano qualquer e daqui a pouco é Natal!

25.5.14

Eleições

A minha mãe disse ia votar no Marinho Pinto, essa pessoínha execrável.
Disse-lhe logo para nem se atrever, porque, no que me diz respeito, alguém que é contra o casamento entre pessoas do mesmo sexo e a adopção por parte dessas mesmas pessoas, não merece ir para a Europa!
Já que não vou votar, pelo menos guio os meus pais na direcção certa, que é para longe desse homem!

24.5.14

Sick

Dói-me a garganta. Tenho o nariz entupido. E tenho uma pedrada de sono que não me aguento.
A minha mãe aconselhou-me a beber leite quente com mel, a questão é que já estou na cama, pronto para dormir, pelo que não me apetece vestir novamente e ir até à cozinha.
Será que alguém é bondoso o suficiente para me vir trazer uma caneca de leite com mel à cama e depois aconchegar-me e dar-me um beijo de boas noites? Quem sabe eu de manhã me sinta melhor e tenha forças para agradecer!
Vá, façam-me a vontade, estou doente!

"Devias ser mais espontâneo"

Hoje passei o dia fechado na biblioteca a estudar para tentar salvar o semestre, como qualquer aluno que se preze. Por ter passado o dia lá fechado, quando vim para casa não aguentava aqui estar, pelo que mandei uma sms a umas amigas (como já sei o que a casa gasta, mando logo a várias).
Uma respondeu.
O que me apetecia era ir aproveitar o resto do sol e apanhar ar, que estava mesmo a precisar. Fomos à baixa. À saída do metro, estava um grupo a tocar música africana, muito mexida e fantástica para dançar e ela perguntou, Vamos dançar, ao que eu respondi, Não me apetece. Depois, discorreu sobre como precisava de novos amigos que fossem mais espontâneos e que não tivessem medo de fazer figuras parvas de vez em quando.
Fomos até ao Terreiro do Paço, falámos imenso, vimos imensos espanhóis (há com cada hermano más guapo, que valha-me nossa senhora!) e o tempo passou-se. Quando estávamos a vir embora eu diss, Vamos ao McDonalds, e ela respondeu, Tu e o McDonalds, Então, onde queres ir, queres ir ao nepalês, perguntei. Bora!, respondeu, mas a sério?, Sim, vamos, devolvi.

E lá fomos. Saímos em Alvalade, achámos a Avenida Brasil, e procurámos o "Monte Everest". chegamos a faltar 10 para as 10 e 15 minutos depois, sentámo-nos. Já lá tinha ido e já tinha saudades! Adoro o Chicken Mango e o Garlic coiso (o pão deles), com aqueles molhos e tal... Opah, comi tanto, que no final, estava a acabar de comer e com um sono desgraçado! Ainda agora estou, que nem vontade tenho de lavar os dentes, apetece-me sair daqui e arrastar-me para a cama, nem tirava a roupa nem nada (era nesta altura que dava jeito ter alguém para me despir e enfiar na cama... Nem era preciso vestir pijama, que eu durmo de boxers. Vejam lá, que eu nem dou muito trabalho!).

Enfim, que tal isto para início de uma vida mais espontânea?

23.5.14

Apetece-me...

...ler um romance gay ou algo que tenha a ver com... A secção gay/erótica* da Fnac do Chiado é uma merda e é composta, basicamente, pelas Sombras do outro senhor e livros semelhantes.
Portanto, aceitam-se sugestões!

*Não compreendo a junção. Juro que não compreendo!

21.5.14

Como é que se flirta com alguém, na vida real, fora do facebook e afins? Não, a sério, gostava de aprender.
Venho ao blog e deparo-me com isto: 


Confesso que me assustei, mas, afinal, foi só o Namorado a violar a caixa dos comentários.


20.5.14

Depois de 65198456164 tentativas...



EIS QUE...
A propósito deste post do Kyle lembrei-me que "há que fazer o bem, sem olhar a quem".
Fazer o bem, simplesmente pela recompensa que se vai obter (o Paraíso) não torna uma pessoa mais digna do que outra que pratica o bem desinteressadamente.
Eu não acredito em Deus, mas é claro que os ensinamentos católicos estão cá e eu até acho isso uma coisa boa! Acima de tudo, ensinam que devemos respeitar e ajudar todos, tudo o resto (infernos e paraísos, deuses castigadores) passa-me ao lado.
O que eu acho é que há que selecionar o melhor de cada religião e ajustar tudo isso à nossa vida, fazer algo nosso, com que nos sintamos bem!

19.5.14

Bolas para mim!

Lembram-se da conversa no comboio?
Hoje voltei a ouvir comentários estúpidos, embora menos graves, sobre a homossexualidade. Foi na biblioteca, onde um grupo de gajos fingia estudar. Começaram a falar do beijo dos jogadores do Sevilha (que fez correr mais tinta do que seria bom, tanto da imprensa "normal" como da imprensa "gay") e houve um que disse: quase não há jogadores gays, pois não?
Entretanto, decidiram ir pesquisar.
Houve outro que disse: ahh, eu acho que eles só se podem assumir depois de deixarem de jogar.
Então porquê?, pergunta outro.
Então, porque eles partilham um balneário com outros gajos, seria estranho, não é? (devo acrescentar que o gajo que dizia isto era feio!)
Começaram a trocar algumas impressões e, embora os amigos lhe tenham dito que isso não é bem assim, porque eles não querem ficar com todas as gajas que vêm à frente, o mesmo acontecia com os gays...

A cena é que ando-me a deixar afectar demasiado com estes comentários. Onde raio está a minha frieza? A força que costumava ter, em que estas coisas me passavam ao lado, a quilómetros de distância de mim? Não gosto disto...
É assim que vai ser o resto da vida?...

E agora vou para uma aula sobre Astrobiologia. Acho que é uma sorte ainda não termos encontrado vida noutros planetas, senão, coitados...

Meus amigos, preciso da vossa ajuda

É o seguinte, sinto-me muito alheado da realidade, não tenho tempo para ver televisão e quando estou no pc não leio as notícias (até porque odeio ler no pc...), pelo que queria saber a vossa opinião.

Para mim, seria melhor um jornal semanário ou diário?
E, já agora, qual é o melhor?


18.5.14

1000 | Mil | Um milhar de | posts

Chegámos, pois, ao post 1000. Porque é que este post é mais especial que os outros? Não sei, deve ser por ser um número redondinho... Toda a gente comemora, porque não eu também?

Podia lançar-me aqui numa reflexão sobre tudo o que já aconteceu ao longo destas entradas todas, mas já são 23.20 e amanhã queria acordar às 7, mas já estou a adiar para as 7.30 e, daqui a pouco, estou a ver que vou adiar para as 9 ou 10 da manhã. Só tenho aulas às 11.30, mas quero ir para a biblioteca da faculdade estudar e tal... E é isto.

Necessidades...

Hoje acordei abraçado à minha almofada, sem saber como. De tal forma estava tão bem agarrado a ela, que andava à procura de algo para por debaixo da cabeça. pois não sabia que estava agarrado à almofada.

13.5.14

Aii que nem me aguento com tanta emoção! Este último episódio de Revenge está a ser tão bom e eu ainda só vou a meio!!!
Duas sandes de manteiga e fiambre e uma sobremesa de baunilha e chocolate. Vamos chamar-lhe um jantar, ok?

11.5.14

4 gajos num quarto: 3 gays e um assim-assim

"O meu cú só tem um sentido."
"Ui, a sério, então regurgitas tudo?"

I'm looking for a gay best friend who doesn't want to take it to the next level

Hoje fui jantar com uma amiga minha. Ela mora no prédio ao lado do meu, mas mal nos vemos: há 2 meses que não nos víamos!
Falámos imenso: sobre a faculdade, o que gostávamos e o que não, episódios que tinham acontecido, séries que víamos, coisas que tínhamos feito... Até que alguém me manda uma mensagem e ela pergunta, estás a falar com quem, e eu respondo, estou a falar com um menino, e sorrio.
Não, eu não tenho namorado, nem perto disso, ainda tentei enrolar e dizer que não era nada, mas acabei por lhe dizer o que de facto era.
Enfim, tudo isto para dizer que me faz falta ter um melhor amigo gay com quem eu tenha à vontade suficiente para discutir estas cenas, mas sem que aconteça nada entre nós, porque não ia ser saudável.

9.5.14

Acabei de me apercer que tenho umas 7 professoras acima dos 45 anos e um professor asiático acima dos 50. Onde raio andam os jovens professores, assim, vá, girinhos, para incentivar uma pessoa?

7.5.14

Um daqueles posts que não interessa a ninguém

Hoje é a noite de os meninos bonitos desta residência se virem por à minha porta a falar... Só é pena que nenhum entre e se enfie na minha cama...

6.5.14

A modes que não é agradável entrar num elevador com um rapazinho e a única luz que há é a do botão onde carreguei para ir para o quinto piso do edifício.

5.5.14

Bom de boca

O meu colega de quarto: Tu és uma lontra. Comes tudo! És um abençoado de boca, como diria o meu pai.

Começo-me a rir.

Ele: Se calhar já várias pessoas te disseram isso, mas em situações diferentes...
Eu adorava conseguir flertar descaradamente com gajos, mas não consigo. Hoje sentou-se um menino fofinhoao meu lado no comboio, ou melhor, eu sentei-me ao lado dele, já que o meu lugar era ali, quer dizer, não bem ali, mas... Oh, não interessa, ele era giro e vestia-se bem. E estava a ler. Digamos que isso é sexy!

4.5.14

Eww!

Eu não via a Casa dos Segredos, mas leio a Maria quando estou em casa e hoje deparei-me com isto:


Não sei se conheciam este jovem, que atende pelo nome de Marco Costa. Só sei que ficou nojento (e não, não estou a ser irónico, as imagens da revista que eu vi eram perturbadoras!)

3.5.14

Pick up line II

The word of the day is "legs". Let's go back to my place and spread the word.

2.5.14

Pick up lines

Should I compare thee to a summer's day? BECAUSE YOU'RE HOT!

A minha primeira vez ainda não vai ser desta

Anyway, o que eu cá vinha mesmo dizer, antes de me deparar com aquele comentário (que não vou publicar, claro), era que não vou votar nas eleições europeias.
Não tenho opinião formada sobre nenhum dos candidatos e estar a vir à terrinha votar é desperdício de tempo e dinheiro e o procedimento para votar em Lisboa envolve demasiadas preocupações minhas, quando isto deveria ser um processo bem mais rápido e fácil. De maneiras que, ainda não é esta a minha primeira vez a ir às urnas exercer o meu direito de voto.

Coisas engraçadas II

Veio aqui um anónimo tentar meter-me medo, a dizer que já tinha visto as fotos do meu facebook e que eu metia medo ao susto (isto, por causa deste post). Deu-me vontade de rir!

1.5.14

Confesso que...

...a conversa que ouvi no comboio me afectou mais do que devia. E ainda fiquei mais chateado por não o ter mandado calar. Mas, por outro lado, acho que não ia fazer bem a ninguém...

Coisas engraçadas

Estava à procura de um post que me lembro de ter escrito, mas que não sei se publiquei.
Acontece que, há uns 2 anos, um gajo adicionou-me no Facebook, começámos a falar e tal... Ele queria-me comer, pura e simplesmente, eu é que não estava para aí virado. Ele era um pouco nojento nas conversas, feiozito (pelo menos nas fotos do facebook, que nunca o conheci pessoalmente) e deixámos de falar.
Eu sabia que conhecia a cara do moço que ia à minha frente no comboio e de quem eu falo no post anterior. O sujeito passou a viagem toda a mandar olhares e sorrisos para mim e eu, feito lunático, a olhar para a paisagem, a sorrir ironicamente de uma qualquer piada. Confesso que fiquei desconfortável, porque, primeiro, nunca ninguém se tinha atirado tão descaradamente a mim, segundo, ele era feiozito e a cara dele não me era estranha (portanto, não podia vir nada de bom daí). Depois de uma pesquisa no Facebook, soube que o sujeito do comboio era o mesmo de há uns anos e que me deve ter reconhecido ou então simplesmente engraçou comigo.

Conversas no comboio

Estou no comboio. Decidi tirar os fones. Deve ter sido a decisão mais estúpida que já tomei nesta viagem.
Comecei, inevitavelmente, a ouvir a conversa atrás de mim: um homem zangado com algo que lhe tinha acontecido (não cheguei a perceber o quê) e que dizia que não estava para aturar bananas, nem paneleiros. Que para ele, bananas e paneleiros e pedófilos deviam ser postos num poço e os problemas deste país acabavam. Mais, que pedófilos e paneleiros era tudo a mesma coisa e acrescentou que era contra a adopção de crianças por casais do mesmo sexo.
Eu simplesmente suspirei e a pessoa à minha frente olhou para mim, sentindo-se igualmente incomodada com os comentários deste "senhor". Ele continuou a falar e eu continuei a controlar-me para não me virar trás e dizer-lhe que se calasse, que quando ele fala, baixa o QI de toda a carruagem!
Enfim, eu acho que pessoas como ele é que deviam ir para um poço, mas isto é só a minha opinião e tenho a certeza que hão-de vir pessoas dizer que ele tem direito à sua opinião, logo, eu também tenho direito à minha.
O que mais me irrita é que, quando o gajo passou para se sentar, eu pensei: "este comboio hoje vai cheio de bichas", porque tem mesmo aquele arzinho, enfim... e o gajo à minha frente também é... E depois, eu. Fora os restantes desta e das outras carruagens.

29.4.14

O meu dia...

...começou ás 5 da manhã, para corrigir um relatório que ficou feito à uma da manhã, para ser entregue è professora, às 8 da manhã. A essa hora, tive uma aula que durou até às 11. Três horas de aula, foi tão difícil aguentar-me, mas consegui não adormecer!
Tenho 3 cafés no bucho e até me estou a aguentar bem. Consegui convencer os meus pais a deixarem-me aproveitar a campanha dos livros do Paul Auster a metade do preço na LeyaOnline e aproveitar também a promoção dos 5 euros de desconto em comprar superiores a 20 euros, pelo que três livros do Auster estão a caminho da minha casa (e eu super feliz! =D).
Já estive a estudar Bioquímica, já estive a ler um pouco do "Nós", uma distopia de 1920 que serviu de base ao "1984" do Orwell (que eu AINDA não li).
Ao escrever isto tudo, até sinto que o meu dia foi produtivo. Contudo, sinto que devia ir estudar mais um pouco.

27.4.14

Isto chateia-me

Quero começar este post por dizer que não a criticar ninguém. Este post reflecte apenas o meu ponto de vista. 
[Eu ia escrever um post bonitinho, mas apaguei o que escrevi porque não estou com paciência e prefiro ser directo.]

Gente, vamos lá a ver se nos entendemos: eu não posso pensar sequer em começar uma relação mais profunda, quando nos conhecemos na semana passada no manhunt ou onde quer que seja, ok? Se nem sequer ainda nos encontramos pessoalmente...! Epah, não sei, chateia-me isto!
E depois, chateia-me dizerem-me "Não posso construir algo contigo assim", quando eu digo que tenho estudar, quando tento marcar um café a meio da semana e ele só pode aos fins-de-semana e eu no próximo não estou cá.
Opah, sou eu que ando a ver demasiados filmes ou é preciso conhecermo-nos minimamente bem, antes de sequer começar pensar se gostamos ou não da outra pessoa? Acho que hoje está tudo com demasiada pressa e isso chateia-me, a sério que sim!

26.4.14

Ter vontade de ir despejar a bexiga, mas estar deitado na cama com o pc ao colo a actualizar-me nas lides da blogosfera e estar todo dorido do dia de hoje na Serra de Sintra. Ninguém merece. Nem merece o facto de não ter nem uma alma caridosa para vir fazer uma massagem e um chá (porque a garganta dói!). Ohh, triste vida a minha!

Eu não quero ser eu por... lets say... 4 semanas, pode ser?

Acho que me levo demasiado a sério. Sei lá... Ou acho que sou demasiado sério. Mas não, também não é bem isso. Sei lá...
Acho que é exaustivo ser eu. E não por tudo aquilo que tenho de fazer, mas sim por tudo aquilo que passa pela minha cabeça, todos os pensamentos, cenários e merdas que me poluem a mente. Mas eu sou assim...
Só que, seria pedir muito ter umas férias de mim próprio?

Diz que é melhor que falecer

Não sirvo para ser fã incondicional de ninguém.
Afinal, a pessoa que eu ia venerar não é mais divina que eu, portanto, não é menos humana e menos susceptível de cometer erros e ter imperfeições.
Dito isto, devo dizer que o programa do Ricardo Araújo Pereira na TVI me está a desiludir um pouco, porque, como ouvinte assíduo da Mixórdia, já conheço muitas das rábulas que ele apresenta na TVI.

15.4.14

These are the questions (to which I have no answer)

O que é que me faz falta?

Porque é que me sinto tão vazio?

Porque é que não sou feliz?

14.4.14

Eu devo ser muito rico e não o sei!

Leiam o ponto 6 deste post que eu escrevi à umas semanas, é que tenho que voltar a este assunto.
Contextualizando: no outro dia, vi uma reportagem na RTP1, que comparava a situação de uma família de funcionários públicos com dois filhos, antes de começarem os cortes e depois de aplicados todos esses cortes (acho que era em 2011 e 2014, dia 1 ou 2 de Abril).
Diziam que desde 2011 tinham mudado muitos hábitos, nomeadamente o hábito de comer peixe, porque é mais caro (e é!), e o hábito de a senhora ir ao cabeleireiro todas as semanas.

Senti uma revolta tão grande ao ouvir isto! Eu não sou daquelas pessoas que não tem pena dos funcionários públicos, que diz que eles merecem os cortes, porque não tenho como saber isso! Agora, revolta-me estas reportagens, em que as pessoas se vão para ali queixar, fazendo parecer que estão à beira de ir viver para a rua, coisa que não é verdade, quando, na casa delas, entra o dobro do dinheiro que entra na minha casa. É revoltante e já o disse e torno a dizê-lo.
Cheguei a casa na quinta feira à noite, por volta das 23h, desde aí, fiz cerca de 3 refeições de peixe em 6 refeições (almoço e jantar, sexta a domingo). Os meus pais não são funcionários públicos, a minha mãe recebe uma miséria a que decidiram chamar reforma e o meu pai recebe pouco mais que o salário mínimo!
Obviamente que, há uns anos, também nós vivíamos melhor, mas adaptámo-nos ao que tínhamos e não andamos para aí feitos coitados! Tivémos que reduzir nas despesas, mas acho que hoje, comemos muito melhor do que comíamos quando tínhamos mais margem financeira...
Mas, atenção, cada um gere o dinheiro da forma como quer, afinal é seu e eu não tenho nada a ver com isso, só não quero é que se venham queixar que estão mal.
Acho que queria dizer mais coisas, mas esqueci-me.

10.4.14

Cheguei a casa. Já não vinha cá desde o primeiro fim de semana de Março, o fim de semana dos Oscars, em que vi cá de propósito só para ver a cerimónia.
Apercebi-me, quando cá cheguei, de que já tinha algumas saudades. Não penso muito nisto em Lisboa, porque, um, não tenho tempo, dois, gosto demasiado da cidade para andar por lá triste a pensar na minha.
Mas isto aqui é diferente (não vou dizer melhor, porque não é)! Adoro sair à rua de noite e ter um céu limpo e estrelado, coisa que raramente consigo em Lisboa. Hoje vi, pela primeira vez em meses, a constelação de Orion, a única que eu sei identificar no céu. Soube bem.

7.4.14

São dias como este...

... que me fazem questionar a minha sanidade mental e a minha personalidade. Nem sei porque saí da cama hoje.

4.4.14

Aaaaaaaand... he said it! I don't know what to do

Escrevi o post anterior antes de ver a resposta dele.
Agora já sei que ele gosta de mim. Disse-o em inglês e com erros, mas deu para perceber. E agora estou borrado de medo, porque eu não o quero magoar. Vou ter de falar com ele... E logo eu que odeio falar cara a cara com pessoas, sobre os meus sentimentos.

E é por isto que vou morrer solteiro e servir de comida para os meus 40 gatos. #2

Sou péssimo a perceber sinais e indirectas neste campo. Devo ser uma das pessoas mais distraídas nestas cenas, que nem sei... Passa-me tudo ao lado. Ou então, não, isto é, se calhar sou é que tenho medo de ter interpretado da maneira errada, por isso finjo que não vi nada e espero que me venham dizer algo, directamente, sem mensagens subliminares ou o caraças.
Não sei, acho que ia ficar borrado de medo, mas se me dissessem "gosto de ti de uma maneira estranha", eu ficava a saber com o que podia contar e, quem sabe, o sentimento podia ser recíproco.
Aiii, que coisas complicadas estas!

1.4.14

I'M TERRIFIED

Então, lembram-se deste post? Pois, eu acho que o rapaz has felings for me. E eu digo acho, porque nestas coisas nunca tenho a certeza e também só sei se mo disseram directamente, com todas as letras e mesmo assim, eu vou desconfiar.
Anyway, estou apavorado, porque eu não gosto dele e se o que eu disse for mesmo verdade, então eu não o quero magoar e mandar-lhe sinais errados!

Por outro lado, conheci um rapaz fofinho e tal, mas ele gosta de música latina romântica, música brasileira chunga e lê Nicholas Sparks (o que é um contra para mim, porque são coisas que eu não gosto, atrevo-me, até a dizer que desprezo!).

Oh well...

HIMYM - the end and other stuff

Acabei de ver o final de How I Met Your Mother e...

[SPOILERS! Voltem quando já tiverem visto o episódio ou avancem se não vêem, não falo só de HIMYM neste post]

28.3.14

Convidaram-me para ir ao cinema este fim de semana...

Foi um rapazinho cá da residência, com quem eu comecei a ir falando há umas duas ou três semanas. Now I'm scared! HAHA


24.3.14

Tenho uma mania parva

Quando vou no metro ou assim, em que simplesmente tenho que esperar, e calha a haver um rapazinho jeitoso, fico a olhar para ele e a pensar porque raio é que gosto tanto de gajos e não de gajas. Eu podia perder tempo a pensar na teoria da relatividade, mas não, penso nisto!
Acho que nunca cheguei a conclusão nenhuma...

21.3.14

Twitter Moment

Eu não sei beijar assim tão bem, mas há quem exagere!
Há quem use demasiado a língua, like, demasiado mesmo! Eu nem sei explicar, mas é horrível.

17.3.14

Sinto-me perdido e deprimido...

...não estou a achar piada ao livro que estou a ler agora e não sei que hei-de ler para o substituir.

P.S: Aceitam-se sugestões e se quiserem emprestar/doar/vender estejam à vontade!

16.3.14

Um direito fundamental para a minha felicidade

Ontem fui passear, estava sol e decidi ir por os pauzinhos ao sol (como o caracol). Deu para lavar as vistas, obviamente, mas também me deu para pensar numa coisa: eu acho que o homem comum (como eu) devia ter o direito de inspeccionar aqueles gajos que parecem, à primeira vista, ser todos perfeitinhos e musculados e nojentos (por serem tão lindos). É que eles devem ter uma falha algures, se não fisicamente, então na personalidade, mas eu só estava interessado na parte física, claro.
Isto vem tudo de ontem ter visto um gajo tão, mas tão, mas tão musculado, que achei que devia ter um pénis minúsculo para compensar aqueles biceps e triceps enormes, pelo que fiquei curioso, deveras curioso!
Não acham que é um direito que nos devia assistir?

14.3.14

Creepy stuff

Hoje voltei a acordar a gemer com outro pesadelo, também por volta das 7 e pouco da manhã. OMG, what's happening?!

13.3.14

Pesadelos & Assaltos

Acho que posso afirmar com toda a certeza que nunca tinha acordado a gritar de um pesadelo, até à cerca de uns 3 anos atrás. Já tinha começado a falar a meio da noite, uma vez por outra, mas nada como acordar a modes que a gemer muito alto (e, por favor, não me interpretem mal, isto é sério, pah! mas eu não grito, eu faço uns gemidos altos, uns "ah, ah, ah" e depois acordo), os meus pais vieram ao meu quarto ver o que se passava... Just a bad dream. 
Desde que estou em Lisboa, já aconteceu duas vezes. Hoje às 7 da manhã aconteceu outra vez! 
Da primeira vez, sonhei que estava numa cama de casal (desconhecida) e que alguém desconhecido lá estava também e que estava a masturbar-se, assustei-me (porque era susposto estar sozinho) e comecei a gemer. Pois... Contei isto ao meu colega de quarto e ele gozou comigo. 
Desta vez não foi nada disso, desta vez estava na praia de noite e depois estava a ir embora e passa um homem de bicicleta por mim que decide voltar para trás e assaltar-me. 
Isto deve ter a ver com o facto de no outro dia ter estado kinda lost no Campo Pequeno, de noite, quase à 1 da manhã, sem saber para que lado era o metro, ou no outro dia, noutro lado, quando fui ter com umas pessoas. Lisboa não é a minha terra e andar às tantas da noite na rua, não é o mesmo que andar lá.
Estive a ver o último episódio de Looking e agora estou a ver uns episódios de Sex and the City na Fox Life e... oh, god, I desperately want a boyfriend!
Vou masé dormir, que não sei o que estou a fazer acordado... Mas amanhã também só tenho aulas às 11, ou, se quiser, às 3 da tarde. Ohh, college is great!

11.3.14

Coisas para dizer a desempregados jeitosos

"Blowjob is better than no job", so, just get down to business!

Roommate

-Posso abrir a janela?
-Para quê? Tira a camisola, eu estou bem assim.
-Mas posso ou não?
-Para quê?!
-(Porque cheiras mal dos pés, mas eu sou demasiado simpático para to dizer.) Vou abrir e pronto.

P.S: Viver com o meu colega de quarto é um teste ao meu sistema nervoso. Eu acho que não sou um mau colega de quarto, juro que acho, mas quando, às 5 da tarde, a pressiana já está fechada só porque faz reflexo no ecrã do portátil do Lorde, porque ele estuda na cama e não quer mudar de posição, acho que é um pouco de exagero. Isso e o facto de ele pensar que manda no quarto, que faz tudo o que quer, mas quando sou eu a fazer já não posso. Eu sei que ele tem um feitio difícil, há anos que o sei, então porque raio fiquei com ele? Porque era a única pessoa que conhecia aqui... Nós temos uma espécie de relação amor-ódio, somos como aqueles casais de velhotes: estão sempre a discutir entre si, mas quando alguém diz mal de um deles, o outro vem logo em defesa, idk, kinda like that. Às vezes só me apetece dar-lhe um murro... Seria o primeiro que dava em alguém. Pronto, interrompi o meu estudo de Física (HORROR!) para vir desabafar aqui. Ele conhece o blog, não sei se ainda o lê, mas se ler, aqui fica uma mensagem para ele: olá, morre e deixa a porcaria do sol entrar neste goddamn quarto!

8.3.14

O Mestre faz 100 anos

"...lembrei-me um dia de fazer uma partida ao Sá-Carneiro — de inventar um poeta bucólico, de espécie complicada, e apresentar-lho, já me não lembro como, em qualquer espécie de realidade. Levei uns dias a elaborar o poeta mas nada consegui. Num dia em que finalmente desistira — foi em 8 de Março de 1914 — acerquei-me de uma cómoda alta, e, tomando um papel, comecei a escrever, de pé, como escrevo sempre que posso. E escrevi trinta e tantos poemas a fio, numa espécie de êxtase cuja natureza não conseguirei definir. Foi o dia triunfal da minha vida, e nunca poderei ter outro assim. Abri com um título, O Guardador de Rebanhos. E o que se seguiu foi o aparecimento de alguém em mim, a quem dei desde logo o nome de Alberto Caeiro. Desculpe-me o absurdo da frase: aparecera em mim o meu mestre."
Excerto da carta a Adolfo Casais Monteiro

P.S: Para quem se lembra do meu post do início do ano.

7.3.14

Twitter Moment

Começo-me a sentir excluído quando o meu grupo de amigos do secundário se junta e a maior parte da conversa é sobre as festas e as bebedeiras que apanharam (e como foi a primeira vez em que ficaram completamente bêbados, porque no meu grupo quase ninguém bebia até virem para Lisboa).

6.3.14

A Revista é linda!

Venho aqui a estas horas (que eu já devia estar a dormir) só para vos dizer que adorei a Revista! Adorei a Marina e o João Baião. E, adivinhem, foi a noite de regresso da Maria Vieira aos palcos, depois do acidente de viação em que partiu duas costelas. Ainda não estava a 100%, mas foi bom vê-la.
Tenho de começar a estar mais atento aos passatempos e às promoções, porque gastar 3 euros e pouco em dois bilhetes de 30 euros compensa. Ainda mais se o espectáculo for fantástico! Vale a pena, o problema é que, com preços destes, ir ao teatro é um luxo...

4.3.14

Amanhã...

Vou ao teatro. Ganhei um convite duplo para a "Grande Revista à Portuguesa", no Politeama.
Desde que viemos estudar para Lisboa que eu e o meu colega de quarto [andamos na mesma turma do 5º ao 9º e again no 12º, vivemos na mesma aldeia] andamos a pensar ir à revista, porque crescemos a vê-la na TV e adorávamos ver ao vivo.
Portanto, em vez de gastar 30 euros cada um, gastei 3 euros e pouco no passatempo, que era para ligar para um número e a cada 5 chamadas ofereciam um convite duplo. Eu liguei uma vez, disseram que faltavam 4 chamadas e continuei até que ouvi o que queria ouvir: "Parabéns, ganhou!".

Respondam-me lá a isto

De que adianta o governo dizer que o Carnaval não é um feríado, se na maior parte dos sítios, o dia é dado?

3.3.14

The internet is an awesome place, can I live there?

Ainda no rescaldo dos Oscars e ainda a refazer-me do facto do DiCaprio não ter ganho o Oscar (again!), aconselho a ver isto!

Expliquem-me lá isto

Dormi duas horas no comboio. Mais uma hora e meia da 16.30 às 18. Como é que agora estou sem vontade de ir para a cama?
Amanhã às 8 tenho aula!

Depois da noite dos Oscars...

Dormi duas horas no comboio. Cheguei a Lisboa, vim a casa, arrumei o que era mais urgente e fui a correr para a faculdade. Tive uma aula onde era necessário preparar uma apresentção sobre uma espécie de macaco, em uma hora e depois apresentar. Felizmente, não deu tempo para o meu grupo apresentar, porque eu estava com uma pedrada!...
Agora devia ir estudar, mas não dá, já arrumei as coisas todas, vou fazer o que é mais urgente para amanhã e tentar ir dormir apenas depois de jantar, que amanhã tenho aula às 8.

P.S: Tenho a dizer que muito melhor de aparêncis! Já arranjei as unhas, desfiz a barba, tomei banho, tirei o pijama... Só o negro à volta dos olhos é que está mal, mas isso são consequências da noite.

Hoje vai ser um dia deveras interessante...

I'M IN RAGE! LEO SHOULD'VE WON!

Quem é que diz que a Amy Adams tem 39 e a Sandra Bullock quase 50? Ninguém, não é?

Travolta apresentando Idina Menzel (Idili Dazil, he says)

Estou a ficar com tanto sono. Nem sei como vou aguentar o resto do dia...

Joshua Malina no twitter

"I thought Pharell would win Best Shorts."
"I wish he’d stop sanking people." (quando os franceses ganharam o Oscar de melhor curta metragem de animação)
(Costumo vê-lo em Scandal)

O que estou a usar

Sinto que, depois de gozarem com as pessoas que comentam os vestidos das senhoras, devo dizer o que estou a vestir (sim, só dizer, é demasiado ridículo para por fotografia aqui!): estou com um pijama azul, de algodão, com a camisola para dentro das calças e as calças para dentro das meias e umas pantufas... Um cabelo super oleoso, que não tomei banho hoje (I know...) e umas unhas lindas, limpas, mas um pouco grandes, por preguiça, bem como a barba. Triste!

De notar que a verdadeira Philomena e o verdadeiro Capitão Phillips estão nos Oscars

Estou a adorar a Ellen! O que eu já me ri!

Gaga at the Oscars

Gotta say, I love it!

E vai começar!

Despois disto, temos isto... Meryl, my dear, you have to try harder!


Na passadeira vermelha da TVI, acabaram de gozar com as pessoas que comentam os vestidos na net. Foi delicioso!

Não achei piada ao vestido da Julia Roberts.

Meh

Lawrence. Não gosto daquelas abas.

Kerry Washington. É a cor (demasiado dark) e o próprio vestido.

WHY?! WHY?!

2013

2014

E eu que gosto tanto de ti, querida Anne!



Jenny fell again


Charlize, deslumbrando sempre!

2013

2014

Women

Amy Adams. Gosto!

Olivia Wilde. Está grávida, mas está tao elegante, gee! Eu virava hetero por ela.

Pharrel.. being Pharrel.

Parece que os homens, no meio de tão pouca escolha, também se podem vestir mal.


P.S: A Jennifer Lawrence acabou de cair na passadeira vermelha. Está-se a tornar um hábito nos Oscars... Está com um vestido vermelho, que ainda não consegui ver bem.

AMEI!

Lupita Nyong'o

2.3.14

Previsões

Este ano acho que é tudo um pouco renhido no que toca às categorias de actores. Acho que a Cate Blanchet deve ganhar melhor actriz, visto que já ganhou tudo, mas não vi o filme, tho. A Judi Dench esteve fenomenal, bem como a querida Meryl, mas perderam tudo. 
Para melhor actor, estou sinceramente a torcer pelo DiCaprio, mas o Bale fez cá um papel!...  
Actriz secundária: adorei a Julia Roberts, mas, tendo em conta os outros prémios, acho que a Jennifer Lawrence ganha, again.
Actor secundário: estou a torcer pelo Jared Leto e acho que ele tem muitas hipóteses de ganhar!
Contudo, no que diz respeito ao filme, a corrida para o melhor é, a meu ver, apenas entre 12 Anos Escravo Gravidade (que deve ganhar muitas das categorias técnicas, I mean, o filme está fantástico nesse aspeccto!).

Hoje é noite de Oscars!

Mais alguém está tão excitado quanto eu?
Enquanto não chega a hora da passadeira vermelha, vou ver Captain Phillips e 12 Years a Slave. Os únicos nomeados a melhor filme que ainda não vi.
Não vou ter tempo de ver os de animação, nem o Blue Jasmin até logo à noite. Oh well, I did my best!

27.2.14

Too Much Information - Hábitos de leitura

Pegando na sugestão dos Coelhos:

1. Descreve o teu lugar favorito para leres um bom livro.
Não tenho assim um lugar favorito. Desde que não enjoe, leio em quase todo o lado. Contudo, gosto de ler na cama, no sofá enrolado a uma manta...

2. O que lês enquanto estás na sanita?
Nada. Quando muito, algumas sms. Quando estou na sanita é para pensar na vida.

3. Lês enquanto tomas banho?
Não. Para além de tomar banho poucas vezes no ano (tipo, uma vez, porque poupo água e tomo duche), quando o faço é mais para relaxar. Geralmente, acontece quando vou apanhar a azeitona. Não estou com cabeça para isso.

4. Se possível, lês no ginásio?
Não frequento o ginásio.

5. Lês algum jornal ou revistas?
Sim. Não todas as semanas, mas sempre que o tema de capa me é apelativo, compro a Sábado ou a Visão. Também gosto de comprar o Expresso, mas como raramente tenho tempo para o ler, deixei de o comprar.

6. Quais os teus géneros literários preferidos?
Fantasia épica. Romance policial. Aventura. Mas vou lendo de tudo.

7. Lês um livro de cada vez ou consegues ler vários em simultâneo?
Um de cada vez. É mais produtivo.

8. Terminas sempre um livro que começaste a ler?
Não acontece muito frequentemente, mas já aconteceu.
9. Os teus pais liam para ti quando eras mais pequeno?
Sim. Alguns livros da Rua Sésamo que eu tinha (ainda tenho) e outras histórias infantis, na hora de deitar. E como eu nunca queria ir dormir, odiava quando o livro chegava ao fim.

10. Já leste para os teus sobrinhos, primos ou alguém mais novo?
Acho que não.

11. Qual a tua opinião entre ler livros em papel versus dispositivos eletrónicos? A tua opinião mudou nos últimos anos?
Para mim, livros são em papel e ponto final. Para além de que prateleiras cheias são sempre muito mais bonitas!
Odeio ler em computadores/tablets/wtv, seja mails, blogs, notícias... Não gosto de ler no pc e se forem textos enormes, é um esforço tremendo, aquele que faço. 

23.2.14

Coisas que me lembrou enquanto estive a ler os 353 posts em atraso

  1. Não sei se já referi que estou a viver numa residência mista para estudantes. O ambiente até é bom, mas há de tudo! (inspirado por este post dos coelhos)
  2. Desde o início do ano só desfiz a barba duas vezes. Não porque ela demora tanto tempo a crescer, mas porque sou apanhado pela preguiça e não me apetece perder tempo com isso, até porque é algo chato. Mas, verdade seja dita, até me gosto de ver com a barba por desfazer. (inspirado por este post do silvestre)
  3. Isto de dividir quarto tem que se lhe diga. Para mais quando o colega se levanta meia hora antes de mim e depois anda para aqui a (tentar não) fazer barulho. É horrível, porque eu sou uma pessoa que se me quero levantar às 9.30, põe o despertador para as 9.20, só para poder adiar por mais 10 min. Preciso disso para ser feliz, mas com ele no quarto já acordado, não dá! E este semestre, ele tem-se levantado sempre mais cedo que eu! (inspirado pela frase deste post do silvestre)
  4. Deveria dedicar um post à minha experiência pelo manhunt (sim, que também já tenho um, foi uma das primeiras coisas que fiz este ano, tipo, literalmente, foi na madrugada do dia 1, estava aborrecido) (inspirado por este post do Ricardo)

22.2.14

Algo que me surgiu ontem de repente

Só para verem o quão saudosista eu sou, só para terem a noção do quanto eu penso no passado.
Estava eu a ler um livro, já quase a chegar ao final, e a pensar em como tudo tinha começado, no quanto as personagens tinham evoluído e como eu sentia falta daqueles momentos em que as coisas estavam melhores que estavam naquele ponto da história, mesmo que, depois, algo de muito melhor acontecesse.
E a minha vida é também assim, uma constante lembrança do que já foi, olhos que apenas olham para o que conseguem ver e não para o nevoeiro denso, em território incerto e desconhecido.

Tirar ou não tirar... a carta

A minha tia disse que ajudava os meus pais a pagarem-me a carta, no Verão, a cena é que eu acho que não estou muito interessado em passar o meu Verão a fazer isso, tendo em conta que é só um mês de férias e tal...
Isto veio a propósito de a minha mãe lhe ter dito que eu queria ir para o ginásio, mas que não dava nesta altura, porque havia muitas despesas e o dinheiro não chegava para tudo. A minha tia disse que nisso não ajudava, mas que ajudaria na carta, para falarmos com ela. Deus sabe o quanto ela tem ajudado! É a avó que eu nunca tive, no sentido, de me deixar fazer todas as maluquices, de me levar desde pequeno de férias para a praia e que me conhece melhor do que eu suspeito! 
Enfim... 
A minha mãe manda-me correr, mas eu odeio correr, por isso vou sendo sedentário. Pelo menos vou todos os dias a pé para a faculdade, ou quase todos. 
Voltando à carta, eu não preciso muito dela aqui em Lisboa, até porque não iria ter carro. Lá, na terra, sujeito-me às boleias que me queiram dar... 
A propósito disso, passei lá a semana passada, a única semana que tive de férias e, sinceramente, já não gosto muito daquilo. Não sei, já estou demasiado habituado a estar relativamente sozinho, em Lisboa, que me sinto estranho quando vou a casa. Mas eu sou um pouco complicado, penso demasiado nas coisas e isso é mau. 
Estou a gostar da faculdade. Creio estar a gostar do curso. Não sei bem, nunca sei o que responder se era o que estava à espera, porque não sei o que estava à espera, para ser honesto. Só chumbei a uma cadeira por desleixo e por desleixo tirei notas miseráveis, contudo a matéria é interessante! 
Era isto... Até à próxima.