30.12.13

O que fica de 2013...

No início deste ano publiquei este post, mas 2013 não foi nada de soalheiro, pelo menos para mim. Foi um ano de perdas. No plano internacional, destaco o Cory Monteith e o Mandela, cujas mortes me deixaram triste, o primeiro por ser tão jovem e o segundo por parecer que nunca iria morrer, que não era da natureza de pessoas como ele, morrer. Mas também foi marcado por perdas ao nível local, ao nível familiar, uma perda que mexeu bastante comigo e que, por vezes, dou por mim a pensar em tudo o que envolve o facto de o meu tio ter morrido. O mais novo dos 5 irmãos do lado da minha mãe, que tinha feito um transplante de coração como a minha mãe, mas ela sobreviveu e ele não... E ela esteve uma semana com o externo aberto, saiu do hospital a pesar menos de 40 quilos...
Eu não quero tornar este post muito pesado, mas dou por mim a colocar a mais inútil das perguntas: porquê?
Eu sei que já leram isto, mas ele deixou dois filhos pequenos e isso é que mais me entristece. E dou por mim a pensar nos momentos em que passámos juntos e nos tempos que antecederam a morte dele, ninguém estava à espera.

Depois, foi um ano de mudança, uma nova vida, fora da casa dos pais, na capital. Posso dizer que tenho aproveitado aquilo que posso, dentro daquilo que gosto e estou a gostar.
Houve momentos em que me senti terrivelmente sozinho, tanto nesta nova vida, como ao longo, mas foram ultrapassados com a ajuda dos amigos. No entanto, há ocasiões em que os amigos não chegam, falta algo mais, aquela coisa, falta aquela coisa que diferencia uma pessoa numa multidão, aos nossos olhos. Mas cheguei à conclusão que não estou preparado para isso. Estou demasiado confortável sozinho, para além de que sou péssimo namorado.
No entanto, não posso negar que tenhos saudades e já o disse este mês num post, algures... Mesmo tendo sido eu quem arruinou tudo!

Apesar das mudanças, sei que há pessoas que vão ficar para a vida e isso conforta-me.

1 comentário:

Kyle Phillipe disse...

"love never happens like we think it really should." ;) pensa nisso, o amor tem formas estranhas de atuar.
Um ótimo 2014 para ti!