17.6.13

O Exame.

Sim, fiz exame. Na minha escola, só duas salas não fizeram exame, na outra escola secundária da cidade, só duas salas fizeram exame. Apesar disso, só soube que ia fazer exame, quando faltavam 5 minutos para as 9.30h, o início da prova.
Na meia hora que passei dentro da sala - desde as 9h até às 9.30h - via gente no corredor de um lado para o outro, professores a vir à porta da sala perguntar se a professora estava sozinha... Para quem não sabe, são precisos dois professores por sala para vigiar o exame, se não chegasse outro professor, não poderíamos ter exame. Por isso, se houve falar das irregularidades em algumas escolas, como alunos a fazer exames em refeitórios e ginásios ou professores de português a vigiar a própria prova (o que é ilegal).
Enfim, sei que não entrei nervoso para a sala, estava muito calmo, tendo em conta que quase não estudei para este exame, em detrimento daquele que vou ter amanhã, mas com toda aquela agitação - e não me esqueço da cara da Directora da minha escola, muito preocupada, como nunca tinha visto - e a incerteza da realização do exame, fiquei nervoso, que até tremia.
Lá chegou um professor para a minha sala, a Directora foi vigiar a outra ao lado e eu lá acalmei.
Sinto-me beneficiado e prejudicado por ter feito o exame hoje. Beneficiado, por um lado, porque já está feito, é menos uma coisa com que eu tenho de me preocupar. Mas, por outro lado, sinto-me prejudicado, porque quem não fez o exame hoje, vai ter mais tempo que eu para se preparar. É que eu, ao mesmo tempo que me preparava para o exame de Português, também me preparava para o exame de Biologia e Geologia de 11º ano, para fazer melhoria de nota. Para não falar do facto de que o exame pode ser mais fácil ou mais difícil do que aquele que eu fiz, resultando em descontentamento de um dos lados, sempre.
O Ministro disse que o grau de dificuldade é o mesmo, tudo bem, até pode ser, mas isso não garante a total equidade da situação, com uns a terem mais tempo que outros, uns a serem filhos e outros enteados. Aliás, aqui, a bem dizer, isso nem se pode dizer, porque ninguém escolheu se queria ou não fazer exame.
Enfim, isto é uma palhaçada autêntica, mas, repito, concordo com esta greve e continuo do lado dos professores. Acho que, depois de um pré-aviso de greve para um dia de exame, a coisa mais sensata seria marcar o exame para outra data, mas o Ministro decidiu ser teimoso, pelo que, agora estamos nesta situação.
Enfim, juro que queria ser sintético!

12.6.13

Sobre o Crato e as suas crati(ni)ces

E a modes que ando aqui irritado por ter um ministro finca-pé, que não cede, mesmo que isso possa prejudicar os alunos, ele que só pensa nos alunos (ui, grande dose de ironia que vos servi agora!), a liderar o "meu" Ministério.
Na minha opinião, que vale o que vale, o exame deveria ser alterado. Há um pré-aviso de greve, se os professores decidirem avançar com a greve ao exame, o mesmo pode-se realizar em alguns estabelecimentos e não se realizar noutros, ou até mesmo dentro de um estabelecimento, em que se pode dar o caso de não existirem professores suficientes para todas as salas. Se isto suceder, faz-se o exame? Acontece que, se se fizer o exame acaba-se com o seu objectivo, que é por os alunos em pé de igualdade, realizando uma prova igual para todos, à mesma hora, em todo país. Mas, se nuns lado se fizer e noutros não, acaba-se com essa igualdade.
De facto, ao colocar os alunos numa situação destas o excelentíssimo, competentíssimo e muy digníssimo senhor ministro (xii, agora é sarcasmo!) não está a proteger os alunos! Antes, está a criar uma situação confusa e infantil, que só vai é prejudicar os alunos, como eu.
Apesar de toda esta situação me poder vir a prejudicar de alguma forma, eu concordo e apoio a luta dos professores, porque não se pode querer manter a mesma qualidade de ensino, quando este está a ser constantemente alvo de cortes... nas pernas!
Nem vale a pena dizer mais nada...

7.6.13

(Frases) Simples

Hoje é o baile de finalistas.
Eu não vou ao baile de finalistas.
Eu não tenho dinheiro.
Convidaram-me para ir jantar ao McDonalds.
Está a chover.
Não há dinheiro na conta.
Não me quis repetir...
Isto é uma merda.

Acho que gostava de ir...

3.6.13

É tão aborrecido quando as pessoas que integram os diferentes planos da minha vida se dão umas com as outras, fazendo parecer que o mundo não é assim tão grande como nos fazem acreditar.
Ai, sei lá, dá-me uma sensação de claustrofobia, por pensar que estou preso nesta terra, as caras sendo sempre as mesmas e meio mundo conhecendo a outra metade. *arrepio*

É que já nem cortar na casaca se pode... Irra!