27.2.13

Ironia!


Isto de viver numa aldeia onde toda a gente se conhece, pode não ser giro ou pode ser. Pode não ser giro, porque se conhecem uma pessoa, comentam e inventam para ali coisas e enfim... Ou pode ser giro, que o carteiro, não estando ninguém na minha casa, vai deixar uma encomenda ao emprego do meu pai. Já não é a primeira vez que não deixa as coisas na minha casa, pois, alegadamente, não há ninguém em casa, mas há. Sim, existe um maior conhecimento, uma maior confiança, mas não acho engraçado as pessoas ficarem a guardar as minhas encomendas (nem vice-versa, excepto raras vezes, em ambos os casos), porque, lá está, comentam: "Não estava ninguém em casa, para onde é que terão ido a esta hora?!".
Não fosse isto o suficiente, ás vezes deparamo-nos com coincidências que nos fazem rir: a encomenda que foi entregue no emprego do meu pai, era um livro que mandei vir do site da Presença e que fala exactamente de um homem já adulto, cujo pai era uma figura emocionalmente distante. Ora, para quem me tem acompanhado regularmente, assim, uma vez por outra, que sempre também é chato, sabe que eu e o meu pai não temos a melhor das relações...
Enfim, uma ironia do destino!

2 comentários:

Índio do Mar disse...

nossa xd o destino prega-nos cada uma

algbiboy disse...

as ves não é por acaso....
abraço
Miguel