18.11.12

Fui visitá-La outra vez...

Que Deus Nosso Senhor se lembre Dela, disse a minha tia, Olhe mãe, está aqui o Seu filho mais novo, a Sua nora, a Sua filha, o Seu genro e o Seu neto mais novo...
E a Sua respiração alterou-se, da respiração calma, passou para um arfar que não significava nada mais do que eu quero falar, mas não consigo!
A este ponto, já não sei se está lúcida, se vive, mas está presa, ou se só existe e já se foi há muito tempo, qualquer caso é triste e ninguém merece.
Já não sei se Ela sai daqui, disse a minha tia, Coitada, está mais para lá do que para cá! A morte é sempre uma libertação...
No entanto, nenhum mostra sofrimento, talvez já se tenham despedido Dela há muito tempo, talvez só reste aquela carapaça velha e a Sua essência já se tenha evaporado...
Hoje estava exactamente no mesmo sítio que estava ontem...

Se ir visitá-la ao lar, quando ainda se mexia, já era penoso o suficiente, então ir ali é ainda mais penoso! A minha tia pediu-me para tirar umas fotos à minha avó, tirei, mas revoltou-me cá dentro, não sei explicar... 

4 comentários:

iLoveMyShoes disse...

Lembra-te da tua avó como era antes da doença... são essas as memórias que tens de guardar. Eu lembro-me de rir imenso com a minha... é o que mais recordo! :)
E percebo a tua revolta em relação à fotografia... mas lembra-te que nem todos pensam e sentem da mesma maneira.
Forte abraço!

AdamWilde disse...

@iLoveMyShoes, mas eu sempre conheci a minha avó de alguma forma debilitada... Sim, lúcida, mas com dificuldade em andar e ouvir, pelo que eu e ela não temos um laço muito forte, para além do laço do sangue...

João Francisco disse...

O mais revoltante é que apenas so refletimos no impacto que as pessoas teem/tiveram nas nossas vidas depois de elas estarem debilitadas ! Força nisso ;)

AdamWilde disse...

@João Francisco, sim é verdade, mas não se aplica neste caso...