31.10.12

Cinema em Casa #4

A Cor Púrpura foi um filme que gravei, apenas pelos actores principais: Danny Glover e Whoopi Goldberg. Apesar de ser um pouco confuso em termos narrativos e de haver momentos em que ficamos um pouco perdidos com as personagens ou o que elas estão ali a fazer, este é um filme com uma mensagem forte e que  é passada para o espectador com mestria.
Fala-se aqui da condição da mulher e, mais precisamente, da mulher afro-americana, no ano de 1909 em diante. E acompanhamos a história de Celie (Whoopi), que tem uma vida sofrida, mas que, no contacto com várias personagens, consegue ganhar o controlo da sua vida, que nunca tinha sido sua.
É bastante longo (mais de duas horas), mas tem um final, o único final que seria de esperar para uma personagem que já tinha sofrido tanto: o reencontro e a felicidade.

Dou-lhe: ***/*****

Cinema em Casa #3

No Domingo passado decidi ver Quatro Casamentos e Um Funeral e fiquei desapontado.
Não que o filme seja mau, porque até nem é mau (mas também não é muito bom), mas a sua história não me convence. Está recheado de clichés, mas no fim, eles acabam juntos (como sempre).
É uma comédia dramática romântica...
Dou-lhe ***/*****

27.10.12

2165468164161 coisas a dividir por 24 horas, não dá!

Eu sei que o blog anda parco em posts decentes, com conteúdo, em vez de apenas música... Mas o tempo tem sido escasso, as 24 horas do dia não chegam para tantas coisas, ainda para mais com testes e trabalhos, tudo ao mesmo tempo.
Sim, porque enquanto os alunos não tinham que estudar para os testes, os professores não deram os temas, estivemos assim durante todo o mês de Outubro, até esta semana. São dois trabalhos, para fazer e apresentar e 10 testes para fazer, até ao final do período...
Haverei de conseguir fazer tudo isso.
Agora vou sair do computador, almoçar e ir para a explicação de Matemática, ver se entendo os Arranjos e as Combinações ou o teste de Segunda vai ser uma miséria!

Bye Bye =)

21.10.12

As vossas sugestões... #2

[CocoRosie - Lemonade]

E agora vou ver mais televisão... 

Resumo do Fim-de-Semana

Hoje o meu dia foi dado à procrastinação: acordei ás 9.30, fui tomar o pequeno-almoço e voltei para a cama, fiquei a ver os episódios em atraso da novela Olhos de Água, a dar no canal TVIFicção, bem como a série Super Pai; depois, à tarde, continuei na cama, mas a ver séries no pc: 3 episódios de Shameless, 1 de Bones e outro de Fringe.
Ontem, estive 2 horas a correr lojas à procura de uns ténis giros e que não deixassem entrar água... Eu sei que sou esquisito, mas o que via era muito feio e, após algum tempo (depois da 3ª loja), comecei a ficar frustrado! Não fosse eu precisar dos raio dos ténis e tinha desistido, mas lá consegui encontrar uns giritos...
Pelo meio ainda comprei um casaco super giro, mas que custou os olhos da cara! Muito necessário, também.

Adivinha-se uma semana super fashion e super produtiva!

17.10.12

Quick Update

Peço desculpa por não escrever nada há já alguns dias, ando entretido com "Os Lusíadas"...
De qualquer maneira, queria agradecer os comentários que me têm deixado no post anterior, sobre novas músicas! Ainda não tive tempo de ver nada das vossas sugestões, mas no fim de semana vou tratar disso e por aqui algumas músicas que tenha gostado.
Se não for pedir muito, alguém me recomenda um cantor de jazz (ou um álbum) que valha mesmo a pena ouvir?
Gracias =)
Vou-me agarrar ao Canto II.

14.10.12

Musicalmente falando...

Por um lado, estou um bocado cansado do pop mais comercial que tenho no mp3; por outro, quero descobrir novas bandas, novos géneros músicas, alargar horizontes! Mas não consigo apagar o pop do meu mp3...
Anyway, o que eu quero com isto tudo é que vocês, meu queridos, simpáticos e cultos leitores, me dêem a conhecer novas bandas e novos géneros, porque a oferta é muita e eu não sei para onde me virar.

E era isto, até amanhã! =)

Cinema em Casa #2

If Lucy Fell (1996), com o brilhante título em português Se Não Te Casas, Mato-me, tem muito para não dar certo e, de facto, não dá.
Juro que só vi este filme por ter como protagonista a deslumbrante Sarah Jessica Parker, mas nem ela chegou para gostar do filme!
O núcleo do filme gira em torno de um Pacto de Morte que estes dois colegas de quarto fizeram nos tempos de faculdade em que, se chegassem aos 30 sem ninguém com quem quisessem mesmo constituir uma família, então atirar-se-iam da Ponte de Brooklyn.
O filme começa um mês antes do dia de aniversário de Lucy (Sarah) que vai fazer 30, portanto, ela e o seu companheiro de casa, vão ter que encontrar alguém com quem queiram passar o resto da vida, nesse curto espaço de tempo.
O companheiro, Joe, anda embeiçado pela rapariga da frente, de quem pinta quadros e tem sonhos, há já 5 anos, mas nunca lhe dirigiu a palavra e Lucy anda à 2 anos e meio com Dick, de quem não sabe se gosta. Ela acaba com Dick e decide conhecer gente; ele decide ganhar coragem para falar com Lucy. Ela conhece um pintor chanfrado (Ben Stiller) e começa a namorar com ele; ele finalmente fala com Lucy e começam a namorar.
O problema é que as questões abordadas não são bem exploradas, como a relação de Lucy com o pai e o facto de ele já lhe ter destinado o que fazer no futuro.
Mas tudo vai bem até que ele percebe que a mulher dos seus sonhos não é a mulher do seu coração e acaba com a rapariga da frente; ela também percebe que Joe é quem ela ama e correm para os braços um do outro.
Temos um primeiro ato, onde andam ambos perdidos e decidem que o pacto é para avançar; depois, num segundo ato, ambos estão bem, com os respectivos namorados, mas já se percebe que vão acabar juntos; no último ato, dá-se a descoberta de que gostam um do outro e acabam juntos.

Não vale o tempo gasto! Se estiverem com vontade de ver comédias românticas, fofinhas e agarrados ao namorado ou namorada, existem outras bem melhores e que não são tão, como dizer?, estúpidas quanto esta (Ouviste Falar dos Morgan, também protagonizado por Sarah Jessica Parker, parece-me uma alternativa muito melhor).
Felizmente, Sarah Jessica Parker, brilhou pouco depois na série Sexo e a Cidade (1998-2004)...
Dou-lhe */*****.

13.10.12

Cinema em Casa #1

Sister Act 2: Back in The Habit (1993) é a continuação do fabuloso filme Sister Act (Do Cabaret para o Convento) de 1992, protagonizado por Whoopi Goldberg.
O primeiro filme era fantástico, uma cantora de um casino vê-se obrigada a esconder por correr perigo de vida. Onde é que a Polícia a manda esconder? Num convento, cheio de freiras que fizeram votos de pobreza e são extremamente religiosas, ou seja, um filme com todos os ingredientes para ser um bom filme de comédia, o que de facto se confirma!
Já esta sequela deixa um pouco a desejar... O elenco do primeiro filme mantém-se, mas muda-se para uma escola católica onde as Irmãs dão aulas, o problema é que não conseguem controlar e motivar os alunos, pelo que vão pedir ajuda à antiga Irmã Clerence (Whoopi) que, sem mais nem menos, lhes decide fazer o favor, deixando a carreira em ascensão, de lado.
[Alerta de Cliché] A partir daqui, o filme corre, centrando-se mais na turma de música (que afinal sabe cantar e muito bem) que é mal comportada ao início, mas que, no final, irão agradecer tudo o que a Irmã Clerence fez pelas suas vidas.
O colégio encontra-se na iminência de fechar mas um concurso de coros onde a turma é inscrita pode fazer com que isso não aconteça (escusado será dizer que eles ganham o concurso)...

Apesar de não ser tão bom como o primeiro, tem momentos cómicos bons e momentos musicais fantásticos, definitivamente adoro Gospel!
Dou-lhe ***/*****.

Sabedoria camoniana

‎[...]
Veja agora o juízo curioso
Quanto no rico, assim como no pobre, 
Pode o vil interesse e sede imiga
Do dinheiro, que a tudo nos obriga.

A Polídoro mata o Rei Treício,
Só por ficar senhor do grão tesouro;
Entra, pelo fortíssimo edifício,
Com a filha de Acriso a chuva de ouro;
Pode tanto em Tarpeia avaro vício
Que, a troco do metal luzente e louro,
Entrega aos inimigos a alta torre,
Do qual quase afogada em pago morre.

Este rende munidas fortalezas;
Faz trédoros e falsos os amigos;
Este a mais nobres faz fazer vilezas,
E entrega Capitães aos inimigos;
Este corrompe virginais purezas,
Sem temer de honra ou fama alguns perigos;
Este deprava às vezes as ciências,
Os juízos cegando e as consciências.

Este interpreta mais que sutilmente
Os textos; este faz e desfaz leis;
Este causa os perjúrios entre a gente
E mil vezes os tiranos torna os Reis.
Até os que só a Deus omnipotente
Se dedicam, mil vezes ouvireis
Que corrompe este encantador, e ilude;
Mas não sem cor, contudo, de virtude.


Luís Vaz de Camões em Os Lusíadas

9.10.12

Sobre os urinóis

Os urinóis são uma das coisas mais estúpidas que já se inventaram até hoje...
Primeiro, porque quando se vai ao urinol e ao lado está alguém: ou se olha para o nosso material ou se olha para a parede (ou se vai alternando, só para controlar a situação lá em baixo); depois, porque, se ao nosso lado está alguém conhecido, não vamos puxar conversa como se fosse uma mesa de café, só que em vez de segurarmos bebidas seguramos..., bem, outra coisa..., o que faz com que fique um ambiente estranho; por último, se ao nosso lado estiver um professor, a situação fica ainda mais estranha, porque é uma figura que merece respeito e com quem só se tem confiança até um certo nível.
Esta última situação aconteceu-me hoje... O professor já lá estava, eu cheguei e comecei a fazer o servicinho e ele perguntou como estava a correr o ano (eu já não tenho a disciplina dele) e eu disse que estava a ir bem e falámos dos horários e eu aproveitei para lhe perguntar sobre umas aulas de apoio para os Exames, da disciplina que ele lecciona e que eu pretendo fazer. É que com os horários zero, tem de se deixar os professores entretidos...
Mas bem, ele ia-me respondendo, sempre a fazer o servicinho e eu, que já tinha acabado, estava a olhar para ele, pois claro! Escusado será dizer que lhe vi o material... E já não é a primeira pessoa com quem isso me acontece.
É que, para além de tudo aquilo que eu já disse, ainda temos a infelicidade de ver os materiais dos outros e eu, sinceramente, dispenso (pelo menos naquela situação e dependendo das pessoas).

Feeling Good Songs #3

[Pablo Alboran - Solamente Tú]

8.10.12

(Des)Acordo Ortográfico

Estamos para o Acordo Ortográfico, uma aberração sem sentido que não merece sequer que se lhe discuta qualquer mérito, como se esteve para o disparo do défice da despesa pública: deixa-se andar e depois vê-se no que dá. Já sabemos o que deu o défice e a dívida. A única força que sustenta o Acordo é a mesma que condenou o País a esta crise profunda: inércia.
Está na altura de lhe bater o pé com força, e a causa contra o Acordo até na rua terá sucesso. Bem que o Acordo podia ir junto com a TSU fazer companhia à meia hora de trabalho suplementar.
José Pacheco Pereira in SÁBADO (27 de Setembro)

7.10.12

Antes e depois (de ele ter partido)


A cidade rejubilava de alegria, sob o generoso sol de Outubro, assim que íamos avançando cidade dentro. A manhã estava fresca, agradável, ele estava comigo e fomos dar um passeio: conhecer a cidade por dentro, a pé.
A alegria das festividades contagiou o nosso espírito e também nós rejubilávamos de alegria, não sei se apenas pelo ambiente ou se, simplesmente, porque estávamos os dois finalmente juntos, a cerca de cinco centímetros de distância um do outro…
Certo era que tínhamos o tempo contado: às dez horas e doze minutos da manhã, ele tinha um autocarro para apanhar que o levaria de volta à sua casa. Desde que o vira pela primeira vez, quando chegou, eu sabia que ele teria, eventualmente, que regressar, mas, como que, reprimi essa informação e entrei num estado de embriaguez culminando no contágio pela alegria das festividades da cidade.
Desta feita, às dez horas em ponto lá estávamos os dois na Rodoviária; a cidade continuava mergulhada na sua alegria, mas eu começava a “recuperar” do contágio…
Esperámos.
Felizmente o autocarro não chegou á hora marcada, mas sim dez minutos depois e só partiu passados mais cinco minutos, o que nos deu mais alguns momentos para nos olharmos ao espelho da alma e fazer sentir, sem palavras, tudo aquilo que éramos um para o outro.
Mas, como nada dura para sempre - nem o que é bom, nem o que é mau -, como tudo tem, impreterivelmente, que ter um final, para o equilíbrio cósmico ser mantido, o autocarro dele chegou!...
Despedimo-nos com um abraço. Ele entrou para o veículo e sentou-se. Fiquei a observá-lo, sem sair do sítio, queria-lhe dizer tudo, mas acabei por lhe dizer nada e o autocarro começou a sua marcha: primeiro lentamente, até que, depois da sua curva, acelerou e o perdi de vista.
O gigante de quatro rodas havia partido e tinha-me deixado ali especado, sentindo-me mais pequeno que o mais pequeno dos homens.
Fui embora.
De repente, a cidade tinha perdido o seu encanto, a sua alegria, a sua cor; parecia-me mais cinzenta e sisuda, desprovida de qualquer interesse capaz de me tirar daquele estado de ressaca que experimentava pela primeira vez…
Talvez a cidade nunca tenha estado em festa; talvez tenha sido eu (ou ele) que tenha dado à cidade um novo ar. Talvez a cidade nunca tenha perdido a cor; talvez tenha sido eu que decidi que ali já não havia nada que me prendesse. Talvez a culpa seja inteiramente minha e este relato não seja de todo fidedigno, porque a minha forma de olhar o mundo se alterou.

Porque não lia os demais blogs à algum tempo...

... tenho que agradecer aos coelhos, por isto.


Porque muitas vezes, os imagino assim, hehehehe!



6.10.12

He's leaving!

Ele está aqui a arrumar as coisas... Vai-se embora amanhã e eu já sinto imensas saudades!
Em cada abraço e em cada beijo, tento decorar tudo o que posso, mas o medo de me esquecer de alguma coisa é tanto que acabo por não decorar nada e fico triste, porque daqui a algum tempo já não me conseguirei lembrar dos lábios dele, nem dos abraços dele...

5.10.12

Apontamentos rápidos sobre o fim de semana

Foi, sem dúvida, a aula de natação mais longa de sempre! Ás 19.45, em ponto, disse ao professor que tinha que ir embora, fui tomar banho e vesti-me rapidamente para o ir buscar.
Ele fez boa viagem, chegou bem, está inteiro e já matámos muitas saudades.
Daqui a pouco vamos ao cinema e depois logo se vê... Mas só de pensar que Domingo ele tem que ir embora e eu fico aqui...
Enfim, a dedicatória que ele escreveu no livro estava muito fofinha e aqueceu-me o coração. Já sei o que ler quando sentir mais saudades dele.

Agora vou-lhe dar atenção a ele. =)

3.10.12

Ele está a chegar! =) [UPDATED]

O meu menino chega amanhã à tarde/noite, enquanto eu estou na natação. Quando eu acabar a aula, vou buscá-los e depois vimos para casa matar saudades, que já são tantas, afinal já não o vejo há 1 mês, 1 semana e 2 dias!
Sinto-me assim... Como dizer?... Com medo que ele se perca ou que lhe aconteça alguma coisa pelo caminho e que ele não me chegue aqui inteiro ou que nem chegue de todo! Tenho mais medo da viagem dele, do que das minhas viajens para Lisboa ou Albufeira, sozinho!
Mas ele vai cá chegar são e salvo, eu vou trazê-lo para casa e vou deitá-lo na minha cama e vou enroscar a ele (o que acontece entre o deitá-lo na cama e eu enroscar-me a ele, não é da vossa conta).

Depois, talvez, quem sabe, eu posto algumas fotos... Para já, fica o olho dele, que tirei quando estive na casa dele.


P.S.: Nota-se assim tanto que estou himalaias de ansioso?
P.S.II: Ele vai-me oferecer o livro que eu andei a pedinchar por aqui, o "Diário de Inverno", do Auster... Com uma dedicatória! De qualquer maneira, quero agradecer ao João, por me ter "oferecido" o link para download do livro, mas eu hei-de lutar até ao fim para ter livros de papel! Mas foi um gesto fofinho +.+

2.10.12

Feeling Good Songs #2

[Mika - Celebrate]

Twitter Moment XXIII

Odiando a CP com todas as minhas forças, por fazer greve de 1 a 5 de Outubro, estragando-me os planos todos com o meu namorado.
Agora que já estava tudo estabelecido, vamos ter de procurar horários de autocarros... Deus!