13.5.12

Pela primeira vez em muito tempo saí de casa num Domingo, para ir almoçar à casa do meu avô e depois para ir comprar uns materiais que me faziam falta...

Pelo meio ainda fui ao lar ver a minha avó, que está cada vez menos ciente do que se passa à sua volta mas, incrivelmente, não consigo ficar demasiado triste por isso. É que o meu pai é o mais novo de 5 irmãos, todos com diferenças de cerca de 10 anos entre si, de modo que nunca cheguei a conhecer a minha avó como uma pessoa como aquelas avós que deixam fazer tudo e que estão muito tempo com os netos... Para mim, ela sempre foi um bocado surda e sem muita noção do que se passava à volta.

No entanto, não deixo de pensar no meu futuro e no meu fim... Aquilo não é vida para ninguém! Pior fiquei quando ouvir uma senhora queixar-se que queria ir para casa, mas que não se conseguia lembrar do caminho, depois começou a chorar e a dizer: "O que eu era e no que eu me tornei!" e ela tem razão! Podemos ser as melhores e mais poderosas e mais ricas pessoas do mundo, mas nada nos impede de cair na desgraça do corpo.
Continuou: "Enquanto tinha dinheiro e capacidades, era uma pessoa muito querida de todos, agora...", acho que não há muito a dizer sobre isto.

4 comentários:

Speedy the Turtle disse...

como estás certo. É uma das conclusões a que cheguei recentemente: podemos ter sido tudo na vida, mas em velhos somos todos iguais.

Hórus disse...

São duas grandes lições de vida que vemos neste episódio:

1º - O Tempo não deixa ninguém para trás. Relembra-nos constantemente que somos humanos, mortais e que o nosso tempo por aqui é limitado, cada dia que passa vamos avançando rumo ao final...a forma como lá chegamos é o que podemos denominar como a vida que tivemos.

2º - Enquanto temos dinheiro, temos tudo. Quando o dinheiro acaba, os amigos, outrora tão meigos e cuidadosos connosco, vão-se embora e viram-nos as costas. É por isso que desde pequeno que sou muito selctivo nas pessoas a quem chamo amigos. Aqueles que chamo amigos são amigos que eu sei que estão comigo em qualquer sitaução seja boa ou menos boa. Mas claro, nem sempre posso evitar alguma [des]ilusão...mas faz parte do processo.

Abraço grande! ^^

André disse...

E já agora, que idade tem essa tua avó? Tem mais de 80?

AdamWilde disse...

@André, sim, tem mais de 80... 84, creio eu