27.11.11

Adolescentes


Hoje fui a uma festa de anos: jantar num restaurante e depois passar o resto da noite num bar ou discoteca…
Quem me conhece e me vai lendo, sabe que o meu tipo de saídas nocturnas não envolve bares e discotecas cheias de fumo ou beber até cair para o lado. Não, o meu tipo de saídas nocturnas é uma coisa mais calma, num ambiente mais acolhedor e relaxado, a ter conversas interessantes ou a ver um filme.
Mas, estava eu a dizer que fui a uma festa de anos… Depois do jantar não fomos a nenhum bar sequer, ficámos num largo perto de umas ruas estreitas e duvidosas, ao frio e à espera que o jogo acabasse. Mas vim a descobrir que os jovens da minha idade quando saem à noite vão para ali e por ali ficam a noite toda, vão comprar bebidas aqui e ali e fumam e ficam bêbados e fazem figuras tristes…
Eu não consigo perceber o interesse, primeiro de ficar ao frio, segundo de ter 16 anos e andar a beber e a fumar como uma pessoa mais velha e terceiro o facto de saírem à noite com esta idade.
Eu sei que já temos 16 anos, mas mesmo assim acho que é demasiado cedo! Será que a minha geração quer ser mais velha do que parece, só porque é cool?
Enquanto eu quero voltar a ter 4 anos, eles querem ter 20 porque já terão carta de condução e mais mobilidade… Mas esquecem-se que à medida que a idade avança, as responsabilidades são maiores e não será sempre dia de festa (para alguns poderá ser, mas isso é outra história).
Os meus pais já saíam aos 16 anos, mas nessa altura já trabalhavam e já ganhavam o seu dinheiro! Se queriam gastá-lo em noitadas tinham que ganhá-lo primeiro, coisa que não acontece com a minha geração.
Este texto pode estar confuso, eu também já estou cansado, no entanto fica a ideia… Os jovens de hoje em dia querem crescer demasiado rápido, porquê?

22.11.11

Ewan McGregor...

(conforme visto em "A Ilha", "Moulin Rouge" e "Anjos e Demónios")





I fucking love his smile (ler com sotaque escocês).

19.11.11

Descobri hoje o Google Reader e... ONDE RAIO É QUE ESTIVESTE ESTE TEMPO TODO?!

17.11.11

O regresso de duas grandes séries!

Dia 5 de Dezembro (Segunda-feira), ás 22.20h estreia a 8ª temporada de Dr.House, desta vez ele foi parar à prisão por ter "estacionado" o carro na sala de jantar de Cudy (a ex-namorada e patroa).

A segunda série estreia no dia a seguir, 6, à mesma hora da estreia de House, temos a 2ª temporada de V. Eu já aqui falei desta série (só não consigo encontrar o post -.-' e acreditem que estive á procura, estive mesmo!) e adorei a 1ª temporada toda!

E já que me perdi no site da FOX a ver que séries irão ser transmitidas, descobri que a série "Foi Assim Que Aconteceu" (ou em inglês "How I Met Your Mother") vai estrear na FOX com a 1ª e a 2ª temporada dia 19 de Dezembro! Já vai na 6ª temporada, na FOX Life, mas nunca apanhei a série desde o princípio e por isso, vou ver! =D

16.11.11

Estava frio na escola, porque não ligam os aquecedores (CRIME!) e a minha colega pôs as mãos dentro dos bolsos da frente, das minhas calças:

Eu- Cuidado com a minha Torre Eiffel.
Outra colega que estava ao lado- Mas o que é que se passa aí? *risos*
Eu- Cuidado com a minha Torre Eiffel, porta-chaves, que arranha! Queres ver?

[Não sei como é que o meu namorado me foi oferecer uma coisa tão perigosa! :O]

14.11.11

Aviso...

...depois de muito trabalhar para o concurso no blog do sad eyes, este blog poderá ficar com pouca actividade (sempre que digo isto, no dia a seguir arranjo sempre 5 ou 6 coisas para contar aqui, portanto...), por falta de criatividade e coisas para contar. Ou então não e é só o dono que tem muita coisa para fazer porque, digamos que, as notas não têm sido as melhores...
Tive um 7 a Matemática, a minha segunda negativa em 11 anos de escola e sinto-me verdadeiramente ameaçado com a negativa no final do período, coisa que não quero que aconteça, de todo; e tive um 10.2 a Física... MAS, a Filosofia tive 18.3, portanto a modes que equílibra.
Arranjei um explicação para matemática porque no final do ano passado já me estava a ver à rasca e vou ficar sem muito tempo para vir aqui, para além do mais ontem a minha mãe disse uma coisa que fez com que eu quisesse mostrar resultados positivos: "Nós só vivemos para ele... [Atenção que eu moro numa aldeia, a cerca de 10km da cidade] Tem explicação dois dias, noutros dois dias diferentes tem natação... Andamos sempre a correr para o ir buscar."
E portanto vou ter de dar o tudo por tudo para não os desiludir a eles, mas sobretudo para não me desiludir a mim.

Não consegui encontrar a nova versão da música "Cada Lugar Teu" da Mafalda Veiga, mas é só para dizer que odeio! Só aquele início desafinado... Minha nossa. O novo album dela, só tem uma música completamente nova e o resto são tudo novas versões, so for tudo com esta... MEDO!

Em contrapartida deixo-vos a nova (?) da Susana Félix que se associa ao Jorge Drexler (que segundo ouvi, já ganhou um Oscar) na música: "A Idade do Céu".


O videoclip está muito giro... E eu quero fazer aquilo, QUEDA LIVREEEE!

13.11.11

E finalmente, depois de um subito rasgo de inpiração enquanto estava a arrumar o quarto, escrevi a história para o concurso PIXEL, do Sad Eyes.


Ide lá ler (ou apanhem o expresso, aqui!), a minha participação é a 17. Depois digam-me o que acharam =)

12.11.11

Mais um livro...

...para a lista dos que têm de ser comprados antes de serem lidos.


Este é o quarto livro de um ciclo (que inicialmente era uma trilogia), que começou com Eragon, continuou com Eldest e Brisingr e termina, agora, com Herança. A história tem um enredo muito bom e é óptima para quem gosta de ficção, criaturas mágicas, magia e sobrenatural...
O único filme deste ciclo é o Eragon, que está uma porcaria e desconfio que seja por isso que não fizeram mais filmes. É que o livro é imensamente melhor, está bem, é sempre, mas neste caso o filme nem um pouco de justiça faz ao livro. 

Aqui estão o resto dos meus meninos! 
Sim, os livros são mesmo grandes... O maior destes três é o Brisingr (da capa preta com o dragão dourado, que tem 813)), mas hoje estive com o novo livro na mão e parece-me que seja ainda maior (a versão inglesa tem 880 páginas)... 


11.11.11

Isto é AWESOME!

Hoje estive a ver os 6 primeiros episódios da série Modern Family e tenho que confessar que é simplesmente fantástica!
Ri-me tanto num tão curto espaço de tempo, que a minha mãe estava a pensar que estava um louco deitado no sofá, debaixo do cobertor, em vez do seu único filho (que por si só, já não é muito são...).


Só é uma pena a TVI passar está Série ás 2 da manhã!

P.S: Gosto tanto do Mitchell xD

9.11.11

Porque hoje me esqueci do meu mp3...

... fui condenado a uma hora de trabalhos forçados com os ouvidos! As parvoíces e teorias que ouvi no autocarro, degradaram-me mais os ouvidos do que ouvir música alta com fones.

Miúdos com menos dois anos, ou menos, que eu:

-I love rata! [you get it, right?]
(...)
-Mas depois não chegas ao pé dela e dizes que a queres comer... Tens que ter calma!
(...)
-E ela já mete os dedos?
-Há uma gaja que vai ver as minhas fotos do facebook e começa a enfiar os dedos [nova função das fotos de facebook, se bem que este rapaz em particular é feio...]

E o mais importante:

Ser virgem ou não ser virgem, eis a questão!

Será legítimo perguntar a alguém se é virgem ou não?

[Eu por exemplo não sou, mas isso foi porque nasci no dia 31 de Setembro (sim, eu sei... mas há sempre aqueles que caem...) e é o tempo das balanças...].

Podemos dizer que aprendi bastante...

Problema existencial na aula de Física

-Primeiro carregamos na tacla 5 ou na tecla 1, para obtermos o gráfico da aceleração?

[Ficámos 10 minutos à espera, pela resposta.]

8.11.11

“Give Me All Your Love”

Já disponível: “Give Me All Your Love” completa

No link acima, vão ter ao blog Madonna X Portugal, para ouvir a nova música, do novo album da Madonna. A música é gira, mas não me convence... E a vocês?

5.11.11

PIXEL

Este deveria ser o texto para o concurso que o Sad Eyes está a promover (cliquem AQUI para saber mais), no entanto tem mais (muito mais) de 250 palavras... Amanhã tento outra vez.

Querido André,

Estava Sol mas ao longe vinham algumas nuvens que adivinhavam uma noite sem luar. E no entanto estava Sol e tu e eu seguíamos em direcção à tua casa.
A proposta tinha sido inocente, mas tu e eu sabíamos o que realmente queríamos.

Era assim que começava a carta, a derradeira carta, as derradeiras palavras a si dirigidas, por ele…

Após momentos de algum embaraço, pediste-me para te abraçar. Mais uma vez era um pedido inocente, mas tu e eu sabíamos que o que queríamos era algo mais que um simples abraço.
Largámo-nos.
Voltei a encontrar-te na tua cama e aí, o tempo parou. Os teus lábios beijavam os meus, o teu corpo juntou-se ao meu… Era um momento perfeito!

Parou a leitura da carta, já sem conseguir ver nada devido às lágrimas que lhe inundavam os olhos e que ele, a todo o custo, tentava reprimir. Se ao menos ele não o tivesse deixado partir…

Do lado de fora ninguém percebia que aquele momento era tão intenso, tão bom. Ninguém percebia que naquele momento, no momento do primeiro beijo, estava a florescer um amor que há muito que já tinha nascido.
Lembraste? Lembraste de tudo isto?
Claro que lembras, é impossível teres esquecido esse nosso primeiro momento mágico!

Parou de ler a carta e olhou em volta, como é que tudo poderia estar igual, como se nada tivesse acontecido?
Ele… Ele…
Não era capaz de terminar a frase na sua cabeça, ainda custava encarar a realidade.

Tempos depois, tudo começou a ser menos feliz e era demasiado frequente discutir sobre qualquer coisa. Onde estavam aqueles bons momentos que passámos, onde estava aquela boa disposição e aquela ternura que sentíamos um pelo outro?
Será que fomos demasiado ingénuos ao pensar que tudo iria ser bonito e adorável e fácil para sempre?
Talvez sim, talvez não…
Mas fomos, sim, ingénuos ao pensar que tudo se resolveria sozinho que estava sempre tudo bem. Eu, mais que tu, preferi acreditar nisso e olha para nós agora... Cada um para seu lado, destroçados e infelizes.
Oxalá tivesse eu conseguido demonstrar melhor que te amava; oxalá tivesse eu conseguido fazer com que não te sentisses tão inseguro quanto a mim, quanto ao meu amor por ti; oxalá tivesse eu conseguido fazer com que não parecesse que eras o único a lutar por esta relação…
Oxalá tivesse eu conseguido ter-te feito entender que te amava por seres como és, por andares sempre com um sorriso rasgado e por teres sempre uma palavra amiga a dizer a alguém que precisasse do teu apoio, mesmo que tudo se estivesse a desmoronar à tua volta. Gostava de ser como tu.
Desejo poder mudar tanta coisa, gostava de não ter dito aquelas coisas horríveis, de te ter mentido, de me ter ido embora, de não te querer ouvir… mas agora é impossível.
Escrevo-te, porque vou viajar… Vou tentar descobrir-me sem ti, o que será um processo doloroso.”

Se a carta lhe tivesse sido entregue mais cedo, talvez ele pudesse tê-lo evitado… Talvez hoje ele e o seu príncipe pudessem estar juntos com o passado atrás das costas como uma praia já explorada e o futuro à frente como uma floresta virgem.
Ele também sentia o mesmo, a sua razão para sorrir já não estava ali, a sua razão para ser feliz já não estava ali e dava pelo nome de Francisco.
Mas já não havia nada a fazer… Era mesmo tudo real… Ele, a sua razão para ser feliz, tinha partido para sempre!

Apesar de tudo, quero que saibas que, esteja onde estiver, vou-te amar sempre… Até morrer.
Nunca te esqueças de mim!
Beijo,
Francisco.

3.11.11

Hey, hey, ontem vi um filme

"Os Substitutos" (2009)


Quem espera um filme de acção do género "Terminator" (porque ambos falam de robos a substituir/imitar humanos) pode perder a esperança porque não é disso que se trata neste filme.
Aqui temos representada a luta pela sobrevivênvia humana enquanto humanos e, do outro lado, temos a evolução em forma de "substitutos" que são robos que impedem que os humanos que os controlam (a partir de casa) não se magoem, adoeçam, sejam violentados... Acontece que os "substitutos" são uma versão melhorada de cada um, podendo não corresponder ao verdadeiro aspecto de cada um, nem ao verdadeiro sexo... É uma mentira!
É representada a sociedade a viver, conscientemente, debaixo de uma máscara onde toda a gente é perfeita, mas por baixo da máscara estão pessoas fragilizadas.
O filme desenrola-se um pouco depressa e a acção propriamente dita está espalhada ao longo do filme, em pequenas quantidades, pelo que parece que não acontece nada.
No entanto, este filme cumpre na mensagem que quer passar: um aviso sobre a nossa relação com as máquinas e a nossa dependência para com elas, mas sobretudo o importante que é o convívio com pessoas de carne e osso. 
Aconselho.


É engraçado: As "lojas dos chineses" foram substituidas por lojas onde se podem comprar "substitutos" simples e baratos; os salões de beleza tratam agora do aspecto exterior das máquinas!


No final há que reaprender a viver sem intermédio de uma máquina, em todas as tarefas...
Mesmo faltando mais de um mês para o Natal, já se sente o espírito natalício no ar (nem que seja pelo facto de os anúncios com brinquedos e afins já passam a toda a hora na televisão)... E eu gosto!