9.2.11

Crónicas da Noite - II

[Stop And Stare - OneRepublic]

Ando demasiado rápido. A vida passa num ritmo alucinado, os momentos passam e nem damos conta, a felicidade evapora-se e dá lugar ao vazio… Mas continua o ritmo alucinado porque já é hábito e nem damos conta, aliás as raras vezes que paramos para ver o que realmente aconteceu e o que realmente perdemos é só para lamentar a tristeza instalada e o ritmo alucinado. Não ligamos a mais nada.
Mas eu liguei… Atrevi-me a parar enquanto todos passavam por mim aos encontrões. Deixei-os ir, porque haveriam de perceber alguém que marginalizam? Olhei para cima, a Lua estava resplandecente no seu quarto minguante. Revivi o passado, aquele para onde quero voltar, senti saudades e vontade de acabar com esta minha vida rotineira.
Afinal, eu quero ser como a Lua… Ir decrescendo de dia para dia, até finalmente ter acesso àqueles meus momentos que hoje recordo com tanta nostalgia. Mas não está certo, eu querer o que já passou; não está certo em ter esperança naquilo que nunca mais poderá voltar, simplesmente a vida é assim – para a frente.
E foi isso que descobri: estava demasiado preso ao passado, preso ao querer voltar e ao não querer prosseguir… 

Sem comentários: