2.2.11

Crónicas da Noite - I

[Pyro - Kings Of Leon]

Desço na minha paragem. Qualquer coisa estava diferente ali… Parecia que algo queria a minha atenção. E assim eu lha concedi.
Era a Noite! Falava para mim na sua plenitude, o silêncio humano era cortado pelos sussurros do Vento que, certamente, me tentava dizer algo, mas eu estava demasiado fechado para compreender. Havia muito tempo que me tinha afastado desse meu mundo que outrora me tinha reconfortado e salvo de cometer actos de que hoje não me poderia arrepender.
E as Estrelas brilhavam lá no alto, lamentando a falta da Lua naquela noite.
Mas a Lua é uma companheira… Algo de que nunca me esqueci desde que abandonei aquele mundo. Olho para ela muitas vezes (demasiadas até, porque isso significa que algo não está bem em mim) e penso… Penso na vida, na minha vida e no fim da minha vida.
É o que mete mais medo, o fim da minha vida! Sei que sou muito jovem para tal, que tenho uma vida inteira pela frente, mas não consigo deixar de pensar que o tempo corre cada vez mais depressa para aquele fatídico momento em que o meu tempo acabou… Em que tudo, para mim, acabou.
E era a Noite e o Vento e as Estrelas que me tentavam falar, mas eu… Eu estava demasiado fechado a tudo isto e não os conseguia ouvir. Foi preciso o Vento uivar tão alto e agitar-me tão fortemente para eu perceber o que queriam dizer. Foi preciso que eles me acordassem deste meu estado de dormência para eu perceber o que se estava a passar comigo… 

1 comentário:

Eric disse...

Muito interessante, quero o resto!