28.2.11

Estive a ver os Oscars até ás 4.30 da manhã, dormi duas horas, fui ter aulas das 8.30 ás 16.40 e agora vou dormir.
Amanhã ás 6 (ou mais cedo) levanto-me para fazer o que não fiz hoje.

P.S: Gostei muito da cerimónia, dos apresentadores, dos vencedores... Mas irrita-me o falatório à volta dos vestidos!

25.2.11

Sarau de poesia

Não sei se é do Sol, mas o que é certo é que me sinto com uma energia fantástica, uma alegria quase infinita.
Ontem tive um dia fantástico, por nada em especial e por tudo em particular! Tive apresentação oral de Inglês (as coisas perversas que surgem na minha cabeça!...) que correu muito melhor que a última e o resto do dia foi normal. Fui para a natação e depois a noite tinha um programa diferente!
Fui jantar ao fórum com a minha mãe, a minha madrinha e um amigo. Eu e ele fomos ás massas e aquilo era tão bom, para não falar do jantar, que foi bastante animado!
Depois o combinado era irmos os 4 a um sarau de poesia na minha antiga escola, mas só fui eu e o meu amigo... Enfim, quando cheguei a casa ainda tive de ouvir a minha mãe reclamar acerca de umas cenas, mas isso não interessa!
Eu adorei o sarau, foi uma experiência fantástica! É preciso ter talento para declamar um poema à frente de tanta gente e conseguir transmitir os sentimentos impressos naquelas palavras. Foram vários os poemas e foram várias as línguas... Saí da rotina e adorei!
A noite estava fantástica! Não estava vento, não estava calor, estava perfeito.

Parece Verão!

22.2.11

Acho que só precisava de me sentir protegido, de estar envolvido nos braços dele... Mas depois, ter que deixar dos braços dele e ir embora sozinho é muito doloroso.

21.2.11

Não me sai da cabeça aquele beijo! Não que fosse uma sensação estranha, mas porque me apanhou de surpresa...

20.2.11

Black Swan

O filme foi deslumbrante mas ao mesmo tempo aterrador!
Sem dúvida uma experiência a repetir...

17.2.11

Coimbra

Hoje fui  a Coimbra ao novo hospital pediátrico... Ok, é sempre complicado sair de lá porque nunca sabemos o caminho (mesmo depois de lá irmos todos os anos), mas desta vez foi o contrário e não dávamos com o raio do hospital.
Enfim, chegámos e tal... Esperei, esperei e esperei, se tivesse saído de casa às 10 da manhã tinha lá chegado ao meio dia e picos que não tinha perdido nada, mas não! Saí de casa às 7 -.-' O que vale é que a Comercial de manhã é um espectáculo e me deu um grande humor (isso e os pastéis de nata que comprámos a meio do caminho num cafézinho que os faz grandes e apetitosos +.+).
O hospital nem é mau, mas já lá não vou ter que voltar mais. Fiquei com pena, porque encontrei o enfermeiro da minha vida! Tipo, quero lá voltar :O xD
Fui ao Fórum Coimbra (ou Coimbra Fórum... já gora, leva acento?), almocei, fui à Fnac (adoro aquilo!) e encontrei lá um livro bem interessante sobre a Lady Gaga, mas a minha mãe disse que em tempos de crise não se compravam porcarias (não, ela não se estava a referir a livros em geral mas só àquele livro que, segundo ela não é interessante -.-').
Cheguei a casa e depois fui ao apoio de Filosofia tirar umas dúvidas e valeu a pena! A stora é, tipo, brutal!! Tem uma relação próxima com os alunos e uma atitude descontraída, o que já é meio caminho andado para ter sucesso a ensinar e fazer com que os alunos tenham sucesso.
E no fim de semana vou ver Black Swan (que chegou finalmente aqui!).

É estranho voltar a casa... Já não me sinto bem aqui, nesta terra... O novo e o desconhecido atraem-me!

16.2.11

Crónicas da Noite - III

Chegou sem sobreaviso, muito, muito lentamente. A sua intensidade foi crescendo cada vez mais e mais e a destruição por ele deixada, era quase total. O chão tremia e parecia querer fugir-me de debaixo dos pés, os edifícios caíam à minha volta e eu não sabia onde me esconder… Só queria que aquilo acabasse!
Quando acabou, deixou para trás um rasto de destruição intensa, de perdas humanas e de sofrimento, muito sofrimento. Mas…
A destruição era tão linda! Os edifícios no chão, os carros destruídos, as pontes totalmente inutilizáveis… Era terrivelmente belo aquele cenário de destruição. Conseguia obter algum prazer naquilo – ver os escombros, os cadáveres, as pessoas a sangrar e a morrer… - era digno de um retrato, porque era simplesmente de uma beleza extraordinária!
Eu não me preocupava com o resto das pessoas… Elas já estavam mortas ou quase mortas e não tinham salvamento possível.
A noite caiu. As ruas eram mais assustadoras e agora eu já não me sentia tão bem com toda aquela destruição. Não tinha para onde ir nem onde ficar, estava sem rumo e nem mesmo a Lua me podia ajudar…

E assim é o amor e a minha reacção a ele… Porque eu não sou boa pessoa, tenho um coração negro como a noite. 

15.2.11

Porque não têm sido dias fantásticos... Vou ouvir música e ler um livro para recuperar o ânimo.

14.2.11

V-Day

[Just The Way You Are - Bruno Mars]

O dia dos namorados passou-se... Não gosto. Odeio! Eu e o Edd acabámos... Ele seguiu em frente e eu fiz o mesmo. É verdade que ainda gosto dele, mas já não é tão forte como era dantes, além disso conheci um rapazinho fofinho e porreiro. 
E basicamente foi ele que me animou o dia... Telefonou-me à hora de almoço e pôs essa música a tocar. É tão linda e ele costuma enviar-me alguns versos dela ^^ 
Chamem-me egoísta ou que seja, mas não sinto que o meu lugar seja ao lado dele. É tarde agora.

Este dia também me traz recordações (boas, eu acho) de quando eu ainda não desconfiava que as raparigas não eram para mim... Enfim, é engraçado olhar para trás e perceber isso. 


[Roubada do blog do  Blog Liker]

P.S: Nada melhor que um teste de Matemática no dia dos namorados... A stora devia estar no espírito porque o teste até era fácil e espero uma relativa boa nota. Por causa do teste não pude ver os Grammys até ao fim, mas vi a actuação da Gaga que foi simples e primou pelo simples facto de ser comentada na Red Carpet e muito aguardada por todos, em geral. Esperava algo mais extravagante, não digo que não, mas gostei do que vi!

12.2.11

opah!

Tive a semana que passou a estudar para o teste de Geologia que até nem correu nada mal, depois foi o de Português na Sexta que tinha perguntas que praticamente não faziam sentido...
O fim de semana é para estudar para o teste de Matemática. Ou pelo menos deveria ser, hoje estudei duas horas e acho que fiquei a perceber praticamente o mesmo ou ainda menos e que só me estou a enganar a mim mesmo... Não sei, mas odeio Matemática! Profundamente.
Outra coisa que, digamos, odeio... É as pessoas às vezes não perceberem piadas e terem a necessidade de problematizar tudo. Chill Out!
Enfim... Vou masé fazer algo de útil, tipo não fazer nenhum.

11.2.11

Estava sem nada para fazer e por isso decidi mudar aqui o espaço... Acham que devia ter ficado quieto??
Hoje tive a falar com o Edd. Não sei o que vou fazer... Talvez até já saiba, mas vou pensar se é mesmo isso que quero... Deveriam existir aulas que nos ensinassem a expressar o que nos vai na alma, a saber traduzir por palavras tudo o que cá vai dentro!



Este videoclip tem algo que me fascina... Para além de a música e letra serem fantásticas.

"Stop pressuring me"

9.2.11

Crónicas da Noite - II

[Stop And Stare - OneRepublic]

Ando demasiado rápido. A vida passa num ritmo alucinado, os momentos passam e nem damos conta, a felicidade evapora-se e dá lugar ao vazio… Mas continua o ritmo alucinado porque já é hábito e nem damos conta, aliás as raras vezes que paramos para ver o que realmente aconteceu e o que realmente perdemos é só para lamentar a tristeza instalada e o ritmo alucinado. Não ligamos a mais nada.
Mas eu liguei… Atrevi-me a parar enquanto todos passavam por mim aos encontrões. Deixei-os ir, porque haveriam de perceber alguém que marginalizam? Olhei para cima, a Lua estava resplandecente no seu quarto minguante. Revivi o passado, aquele para onde quero voltar, senti saudades e vontade de acabar com esta minha vida rotineira.
Afinal, eu quero ser como a Lua… Ir decrescendo de dia para dia, até finalmente ter acesso àqueles meus momentos que hoje recordo com tanta nostalgia. Mas não está certo, eu querer o que já passou; não está certo em ter esperança naquilo que nunca mais poderá voltar, simplesmente a vida é assim – para a frente.
E foi isso que descobri: estava demasiado preso ao passado, preso ao querer voltar e ao não querer prosseguir… 

8.2.11

Vénus vs Ferrero Rocher

Se compararmos Vénus com um Ferrero Rocher... Percebemos que Vénus tem um núcleo rochoso (o FR tem um núcleo de avelã, ou lá o que é, só sei que é bom como o caraças), depois um manto (o FR tem um manto de chocolate, que é fantástico!) e uma crusta com vulcões activos (o FR tem uma crosta com pedaços de amêndoa que é deliciosaaaa +.+).
E assim se estuda geologia ;)

6.2.11

[I Hate This Part - The Pussycat Dolls]

Porque eu odeio esta parte.
Odeio esta triângulo onde estou metido. 

Tio Afastado

Costumava imaginar, cada vez que saía de casa para ir à natação, que quando voltasse, ele iria estar lá... Eu iria ver o seu carro vermelho e depois o seu sorriso, a sua boa disposição. Isso nunca aconteceu e durante anos a fio esse "desejo" nunca saiu da minha cabeça.
Eu gostava dele. Eu gosto dele, apesar de a maior parte do tempo ele estar fora, eu gosto dele pelo mistério, pela liberdade que ele representa (ou representava, já não sei).
Mas agora, fui atacado pela indiferença... Já não ligo, já não quero saber... É só mais um membro da minha família que tem a sua vida lá longe e que raramente o vejo. Um tio afastado, tomando a expressão à letra.
Afastado pelas escolhas que fez, pelas circunstâncias da vida. E secretamente eu queria que ele voltasse, que deixasse de ser um tio afastado... Mas a vida já vai longa, mas a vida foi sempre aquela e não vai mudar.

3.2.11

*Bzzzzzz* [Mensagem nova]
*Responde à mensagem; envia*
*Bzzzzzz* [Mensagem nova]
*Res*Bzzzzz*ponde à mensagem; envia*
*Responde à outra mensagem*
...

E depois quero que a bateria do telemóvel dure mais de um dia e meio seguido!

2.2.11

Crónicas da Noite - I

[Pyro - Kings Of Leon]

Desço na minha paragem. Qualquer coisa estava diferente ali… Parecia que algo queria a minha atenção. E assim eu lha concedi.
Era a Noite! Falava para mim na sua plenitude, o silêncio humano era cortado pelos sussurros do Vento que, certamente, me tentava dizer algo, mas eu estava demasiado fechado para compreender. Havia muito tempo que me tinha afastado desse meu mundo que outrora me tinha reconfortado e salvo de cometer actos de que hoje não me poderia arrepender.
E as Estrelas brilhavam lá no alto, lamentando a falta da Lua naquela noite.
Mas a Lua é uma companheira… Algo de que nunca me esqueci desde que abandonei aquele mundo. Olho para ela muitas vezes (demasiadas até, porque isso significa que algo não está bem em mim) e penso… Penso na vida, na minha vida e no fim da minha vida.
É o que mete mais medo, o fim da minha vida! Sei que sou muito jovem para tal, que tenho uma vida inteira pela frente, mas não consigo deixar de pensar que o tempo corre cada vez mais depressa para aquele fatídico momento em que o meu tempo acabou… Em que tudo, para mim, acabou.
E era a Noite e o Vento e as Estrelas que me tentavam falar, mas eu… Eu estava demasiado fechado a tudo isto e não os conseguia ouvir. Foi preciso o Vento uivar tão alto e agitar-me tão fortemente para eu perceber o que queriam dizer. Foi preciso que eles me acordassem deste meu estado de dormência para eu perceber o que se estava a passar comigo…