17.12.10

I saw you

Hoje, vi-te. Não te sorri em jeito de reconhecimento, porque pensei que já não te lembrasses de mim…
Mas eu lembro-me de ti! E, curiosamente, lembro-me de como costumavas dizer este ou aquele trabalho estava “mal enjorcado”. Lembrei-me da maneira como dizias isso e achei curioso a minha memória ligar a pormenores (des)interessantes; eu, que tenho uma memória péssima.
Mas às vezes preferia não ter memória. Acho algo tão injusto, o facto de nos lembrarmos quase só dos momentos bons em tempos menos bons. É óbvio que isso me faz querer reviver esses pedacinhos de felicidade… contigo.
Não sei a razão, simplesmente quero! Quero esses momentos de volta, contigo. Talvez seja porque nessa altura eu era inocente e hoje estou-me a tornar adulto a uma velocidade louca, onde todas as decisões importam imenso para o meu futuro. Ou talvez seja porque nessa altura eu era feliz, muito feliz.
Não! Lá está de novo a minha memória a lembrar-se apenas dos momentos bons. Tive muitos momentos maus nessa altura, nesse sítio…, mas fui feliz e é onde tenho mais saudades de voltar.
Dizem que sou bastante desenvolvido para a minha idade. Eu levo isso como um elogio, mas começo a pensar que é um defeito! Se sou mais desenvolvido do que era esperado para a minha idade, então não vou aproveitar estes meus últimos momentos, que são os melhores da minha vida, e vou estar sempre a pensar em coisas que me fazem esquecer que o amanhã, de quando eu for adulto, vai ser pior do que o hoje.
No entanto, o amanhã não me interessa, o hoje é aborrecido mas o ontem é mágico… Especial!

A.W.

Sem comentários: