31.12.10

Há tanto para dizer sobre este ano que está a acabar... Mas bem, não é hoje que vou fazer isso.
Boas saídas e boas entradas, tenham um óptimo Ano Novo!

Até já.

30.12.10

Não é cute?


Ele é o protagonista da série em que recentemente me viciei (por causa dele, óbvio)... "Apanha-me se puderes "  onde aqui o Matt Bomer interpreta um charmoso crânio do crima chamado Neal Caffrey. 


Aiiiii, coisa mai linda!!! +.+

29.12.10



Não sei se conhecem, mas eu adoro a música!!

P.S: Agradeço os comentários feitos e queria pedir para continuarem a assinalar se o post é bom ou mau (Esquisito ou tenho o gosto apurado?), se não quiserem comentar... É só para sentir algum feedback e sentir que "sou lido".
E pronto, boa noite que já é tarde.

27.12.10

Há uns dias atrás, decidi ver umas fotografias que tinha guardado no computador. Foi como abrir um velho e empoeirado álbum de fotografias, mas senti um certo distanciamento… a era digital estragou essa parte, mas isso é outra história.
Falava eu sobre umas fotografias… Esses pedaços de papel (costumavam ser…) onde existem momentos condensados, palavras suspensas no ar, sentimentos congelados… Tudo à espera do olhar atento de alguém, para que se possam libertar os momentos, as palavras, os sentimentos e a nostalgia nos invada o corpo.
Mas nem sempre a nostalgia é boa… Vemos as fotografias, olhamos para aqueles rostos felizes e ingénuos – se ao menos eles soubessem o que o futuro lhes tinha reservado… -, vemos o passado e olhamos para o presente. O que mudou?
Tudo!
Tudo mudou desde essa fotografia, desde esse momento condensado. A da esquerda mudou muito ao ponto de mal tratar aquele a quem nesse momento se abraçava… O rapaz ali ao meu lado foi da mesma forma influenciado e mudou; outrora grandes amigos, não passam de pessoas que mal se vêem e que mal se falam…
E assim é o mudo: em constante mudança.
Quem não aceita essa mudança ou tem dificuldades em a ultrapassar não conseguirá sobreviver…
No entanto, aqui estou eu…
A divagar sobre o passado, sempre!

A.W.

Natal

Oh bem, o Natal passou-se... Foi muito melhor que o anterior; muita comida e muitas prendas que envolviam comida (é, eu sou guloso e adoro comer porcarias!). De modos que recebi muito chocolate e que provavelmente deve desaparecer antes das aulas começarem...
As outras prendas não interessam... Um perfume (cheira mesmo bem!!) e dinheiro, como vêm nada de interessante.
E pronto, a próxima festa é a passagem de ano e isso deixa -me deprimido. Não quero ficar em casa!
Alguém quer passar comigo?? ;D

P.S: Era para ir ter com o Edu e outro amigo nosso mas, aparentemente, a nossa idade ainda é para passar estas festas com a família... -.-'

24.12.10

Oh bem, é Natal...
É uma época especial e gira, mas ainda não apanhei o significado e está muito complicado consegui-lo! Já nem sei se o importante é as prendas que se oferecem ou a reunião familiar que inevitavelmente acontece.
Enfim, who cares about that nowadays?

Feliz Natal para os meus seguidores lindos +.+ 



19.12.10






O tráfico humano é a 3ª actividade ilícita mais lucrativa, a seguir ao tráfico de droga e de armas...

17.12.10

I saw you

Hoje, vi-te. Não te sorri em jeito de reconhecimento, porque pensei que já não te lembrasses de mim…
Mas eu lembro-me de ti! E, curiosamente, lembro-me de como costumavas dizer este ou aquele trabalho estava “mal enjorcado”. Lembrei-me da maneira como dizias isso e achei curioso a minha memória ligar a pormenores (des)interessantes; eu, que tenho uma memória péssima.
Mas às vezes preferia não ter memória. Acho algo tão injusto, o facto de nos lembrarmos quase só dos momentos bons em tempos menos bons. É óbvio que isso me faz querer reviver esses pedacinhos de felicidade… contigo.
Não sei a razão, simplesmente quero! Quero esses momentos de volta, contigo. Talvez seja porque nessa altura eu era inocente e hoje estou-me a tornar adulto a uma velocidade louca, onde todas as decisões importam imenso para o meu futuro. Ou talvez seja porque nessa altura eu era feliz, muito feliz.
Não! Lá está de novo a minha memória a lembrar-se apenas dos momentos bons. Tive muitos momentos maus nessa altura, nesse sítio…, mas fui feliz e é onde tenho mais saudades de voltar.
Dizem que sou bastante desenvolvido para a minha idade. Eu levo isso como um elogio, mas começo a pensar que é um defeito! Se sou mais desenvolvido do que era esperado para a minha idade, então não vou aproveitar estes meus últimos momentos, que são os melhores da minha vida, e vou estar sempre a pensar em coisas que me fazem esquecer que o amanhã, de quando eu for adulto, vai ser pior do que o hoje.
No entanto, o amanhã não me interessa, o hoje é aborrecido mas o ontem é mágico… Especial!

A.W.

14.12.10

-Edu a tentar explicar o que é activo e passivo a um colega (é que nem perguntem porquê :O): Activo é quem dá e passivo é quem recebe...
-Eu: Então eu sou passivo, porque recebo presentes... 

12.12.10

Estou triste.
Triste porque deixei que a noite de Sexta-feira ficasse envolta na irrealidade do sonho.
Triste porque sinto que não tenho feito nada da minha vida que me faça sentir como me senti naquela noite.
Triste porque sinto que vivo uma vida de mentira e as raras vezes que posso ser eu - com todos os meus defeitos e qualidades, todos os meus gostos e manias… EU! –, passam depressa demais.
Triste porque magoo as pessoas e não consigo sofrer o suficiente.
Triste porque sinto que não tenho daqueles sentimentos que o coração também sente.
Triste porque sou um parvo.

The Monster Ball Tou, Lisbon 2010 - Part 2

10, 9, 8, 7, 6, 5, 4, 3, 2, 1
O espectáculo começou!
Quando entrei no Pavilhão Atlântico, reparei em muita gente diferente – eram velhos e novos, gordos e magros, negros e brancos, heterossexuais e homossexuais… A diversidade que a Lady GaGa apoia!
O ambiente estava ao rubro. Ela entrou e encantou; e nós, os seus “litle monsters”, cantámos com ela e aplaudimos o seu excelente trabalho.
A dada altura pareceu-me aquilo ser uma procissão, dada a quantidade de câmaras fotográficas no ar a fazerem lembrar velas… E bem que poderia ser uma procissão, ou não fosse o slogan da noite: “my religion is you”.
Por entre as suas maravilhosas performances, a Queen ia deixando mensagens… Mensagens que já todos tínhamos ouvido proferir na televisão ou na internet.
Mas agora era diferente, ela estava na mesma sala que nós a dizê-lo para nós! Palavras para nos orgulharmos de sermos como somos, palavras para nos encorajar… Afinal, “we born this way”.
E foi com essas palavras que percebi porque é que ela conseguia mover multidões daquela maneira, ela importava-se com cada um de nós ali presentes e sabia que muitos de nós éramos aqueles a quem nos chamavam de “freaks”.
Isso deixou-me orgulhoso de ser o que sou!

The Monster Ball Tou, Lisbon 2010 - Part 1

Acordei às 7 da manhã. Não sabia porque havia de fazê-lo, estava cansado e com sono. Arrastei-me a custo para a casa de banho e fui tomar um banho.
Depois de me ter vestido e de ter despertado convenientemente, o meu corpo começou a tremer…, mas não era de frio!
A escola começou, as aulas iam passando a muito custo, e eu sem prestar muita atenção; a minha cabeça pensava na maravilhosa noite que iria ter.
As aulas acabaram e o autocarro nunca mais chegava (parecia que tudo estava tão lento!), até que por fim chegou e me levou a casa. Almocei, vesti-me e esperei pela minha boleia para a estação de comboios.
Despedi-me da minha mãe (oh, como eu odeio despedidas) e instalei-me no comboio.
Duas horas e uns minutos mais tarde anunciaram que a próxima paragem era na estação do Oriente, mas antes disso (e vá-se lá saber porquê!!) parou em Moscavide e eu, enganei-me, e saí. Fiquei assustado, mas depois consegui desenrascar-me e levaram-me até perto do Pavilhão Atlântico (isso fez-me odiar o trânsito de Lisboa!).
Entrei, procurei o meu lugar e sentei-me e logo fui descoberto por uns primos e uma tia do coração, com quem me deveria ter encontrado antes do concerto (maldito engano).
O lugar era enorme e estava cheio de gente, simplesmente fenomenal!
A primeira parte do concerto começou… Tive dificuldade em perceber se era O vocalista ou A vocalista devido aos sapatos (que, por acaso, eram bem giros); mas eu queria, era a Queen!
E ela chegou, pondo fim a uma espera ansiosa de meses.

9.12.10



Tomorrow, I'll meet the Queen.

Apaixonei-me...


...por estes olhos! Normalmente gosto de olhos azuis, mas estes simplesmente... Matam-me! +.+

P.S: Encontrado no blog REVISTAGAY 

8.12.10

Parvalheira


Pequena localidade cuja população é considerada avessa ao desenvolvimento

7.12.10

Sondagem

Concluo que os leitores do blog acham que o blog não está uma seca mas também não está de todo maravilhoso... Vou tentar mudar isso ;)
Para já, uma música para animar a noite tempestuosa:

Britney Spears - 3



1,2,3...

Desafio II

7 coisas que pretendo fazer antes de morrer:

1- Passar as férias da minha vida no Egipto
2- Viajar pelos E.U.A   
3- Viver em Lisboa
4- Ser eu a tempo inteiro
5- Pegar no carro e não ter destino
6- Queda-livre
7- Aprender a surfar

7 coisas que mais digo:

1- Ó fofo...
2- Gee
3- OMG!
4- ...e coise...
5- Não sei...
6- Ehh, moce!
7- Yah, tipo...


7 coisas que faço bem:

1- Estar sentado sem fazer nada (xD)
2- Dar conselhos (segundo parece...)
3- Nadar
4- Bom ouvinte
5- Evitar os problemas (infelizmente)
6- Apoiar os amigos
7- Escrever (ehh, dizem que sim...)


7 defeitos:

1- Falta de auto-confiança
2- Teimoso
3- Arrogante
4- Egocêntrico, por vezes
5- Temperamental 
6- Preguiçoso 
7- Tenho sempre razão 


7 qualidades:

1- Meigo
2- Inteligente (só ás vezes)
3- Bom 
4- Simpático
5- Bem comportado
6- Criativo
7- Sensível 


7 coisas que amo:

1- Chocolate
2- Lasanha
3- Ler
4- Não fazer nada
5- Ver um bom filme ou série no meu sofá
6- Estar com os amigos e família
7- Ouvir música


7 pessoas para fazerem o desafio:


1- Eric
2- JS
3- Eu
4- Luccas
5- A Criatura
6- Someone
7- Cisco

Achei este desafio o mais interessante de todos os que já fiz! Simplesmente, é demasiado complicado olhar para nós e perceber quais são os nossos defeitos e qualidades, o que mais amamos ou o que queremos fazer antes de morrer... 

3.12.10

Passei as 4 horas da minha tarde deitado no sofá a ver televisão...
Eu contribuo para o progresso do país!

1.12.10

Para quê?

Será que vale a pena levantar-me da cama todos os dias de manhãzinha para ter mais um dia cansativo de aulas? Quero dizer, para quê?
Tenho andado num estado de letargia nestes últimos dias, tenho andado perdido. Não sei para que é que me continuo a esforçar, não sei porque é que faço isso… Não sei o rumo que hei-de dar à minha vida, que não faz sentido nenhum. Perdeu o rumo, o objectivo com que se guiava.
Mas que objectivo era esse? Talvez se eu soubesse, seria mais fácil reencontrá-lo e assim daria um sentido à minha vida e, quem sabe, me tirasse deste estado de letargia. Mas não, eu não sei qual era o objectivo que regia a minha vida, deixei-o escapar, perdi-o…
E com isso perdi também o rumo certo a tomar para atingir esse objectivo. Agora, não sei de que me serve escalar a montanha se não tenho nada lá em cima à minha espera, que valha o esforço.
Talvez se ficar aqui…
Talvez se voltar para trás…
Talvez se procurar bem o vou encontrar!