2.4.10

Conversas II

(…)

CrazyGuy               diz:

Pois...
Gee! Eu acho que as pessoas não deveriam ter filhos para depois fazerem coisas destas... É simplesmente parvo, os pais quererem controlar o futuro dos filhos e não aceitarem que eles são diferentes.

Edd                    E diz:

...
O problema é mesmo esse
Não somos diferentes
Eles é que pensam assim

CrazyGuy               diz:

Nós somos diferentes sim, porque gostamos de pessoas do mesmo sexo! Somos diferentes em termos de orientação sexual, não podemos negar, mas diferente, nem sempre significa ser deficiente ou whatever

Edd                    diz:

Maybe...

CrazyGuy               diz:

Essa é a minha maneira de pensar... não sei se concordas, mas gostava de saber...

Edd                     diz:

Não somos diferentes. Apesar de termos diferente opção sexual não significa que sejamos diferentes, num todo!
Percebes?

(…)

CrazyGuy               diz:

Humm, sinceramente não...
Explica te melhor

Edd                     diz:

Acho que por termos opção sexual diferente. Não vamos ser diferentes!
Por exemplo, é como tares a dizer que um preto e diferente de ti. Não é... percebes?

CrazyGuy               diz:

Ahh, estou a ver...

Edd                     diz:

Não somos diferentes completamente, no todo

CrazyGuy               diz:

Pois olha que eu discordo um pouco.
No todo podemos não ser diferentes, mas de facto nós somos diferentes.
Eu sou diferente de ti e tu de mim...

Edd                     diz:

Yah, é isso que estou a dizer! Eu sou diferente de ti, e tu de mim. Temos todos personalidades diferentes, mas acho que ninguém deve ser censurado por ser diferente. Não te censuro por preferires chocolate negro...

CrazyGuy               diz:

Claro... Mas voltando ao assunto central... tipo nós somos diferentes entre cada um, mas não num todo, mas para haver diferença, tem de existir algo para compararmos
Ou seja, nos somos diferentes em relação aos heterossexuais, ou seja
Nós somos diferentes em relação às ideologias heterossexistas da sociedade
Ou seja,
Nós somos diferentes dos filhos perfeitos que os nossos pais idealizaram quando souberam que iriam ser pais
Alguns pais, adaptam essa sua idealização e nós, os seus filhos, continuamos a ser perfeitos
Outros pais, mantêm a sua idealização do perfeito filho heterossexual e não aceitam, não sabendo o quanto estão a prejudicar o/a filho/a

(…)


Gostava de saber a vossa opinião/critica a tudo o que foi dito nesta conversa ;)

5 comentários:

Ana Sofia disse...

"todos diferentes todos iguais" by n sei das quantas... olhem sinceramente nem sei o que pensar disso de serem diferentes... tido cada um é diferente né...

Fernanda disse...

Os pais têm sempre essa idealização mesmo que os filhos sejam heterossexuais. Tentam projectar em nós o que queriam e ser e não foram.

Tiago MM. disse...

porque é que temos de ser nós diferentes dos heterossexuais, e não os heterossexuais serem diferentes de nós? porque é que o lado deles é o que se compara tudo ? concordo contigo em toda a conversa , muito bem dito.

Pinkie Bat disse...

Concordo contigo. Somos todos diferentes uns dos outros, quer na orientação sexual, quer nos gostos gastronómicos, quer no tipo de livros favoritos. Até os heteros são diferentes uns dos outros! Há os que preferem loiras e que fantasiam com loiras, há os que preferem ruivas, ou morenas... O mesmo se passa com homos, e bis. Somos diferentes, mas no fundo, somos todos humanos! E é ai que somos todos "iguais". O que é importante é saber respeitar! Porque nós somos diferentes dos negros. A cor de pele é diferente, a constituição física é diferente, a imunidade a algumas doenças é diferente... Mas também tem sentimentos, também são pessoas! E por isso não há nada a discriminar! E acho que é bom haver diversidade. Se fosse tudo igual era secante. Eu quero conhecer punks, hippies, "normais", góticos, budistas, satanistas, gente diferente para conhecer diferentes maneiras de pensar, de ver o mundo. A diferença existe sim. O que não devia de existir era a discriminação. E o que quer que o meu filho goste, o que quer que ele seja, eu tenho é que aceita-lo. A menos que seja um assassino, mas isso é completamente diferente!

Carmelita disse...

ainda bem que existe a diferença! Senão seria-mos um pacovios todos iguais. E onde é que se encontrava o gosto de viver? o gosto de conhecer outras pessoas?
é uma estupida discriminação!
mas é um topico muito interessante.

Gostei muito.
beijo@