5.3.10

Telhados de Vidro...

O Vaticano foi abalado por mais um escândalo sexual desta vez por serviços de prostituição masculina disponibilizados dentro do círculo mais próximo de Bento XVI.

Angelo Balducci, um Cavalheiro de Sua Santidade, foi apanhado em escutas telefónicas pela Polícia a negociar com Thomas Chinedu Ehiem, um jovem de coro de 29 anos, sobre detalhes físicos específicos dos homens que ele queria para o servirem. A notícia foi divulgada pelo jornal britânico Guardian que afirma que as transcrições que dispõe indicam que muitos mais encontros com homens podem ter sido organizados para Balducci, pelo menos um dos quais com um seminarista.

O escândalo é amplificado pela política da Igreja Católica de que os actos homossexuais são ""intrinsecamente desordenados", sendo que o Catecismo da Igreja Católica é inequívoco: "em caso algum podem ser sancionados".

Balducci foi preso em 10 de Fevereiro, suspeito de envolvimento em corrupção generalizada. Um alto funcionário do governo italiano, há suspeitas de ter favorecido empreitadas de obras públicas para quem o beneficiava, em alguns casos com prostituição masculina. Não foram ainda feitas acusações formais.

Foi durante essa investigação sobre corrupção que as escutas telefónicas revelaram a sua suposta actividade sexual. Numa conversa, Ehiem diz a Balducci: "Eu vi a sua chamada quando estava no Vaticano... estava num ensaio ... no coral ... na Catedral de São Pedro". Ele então sugere a Balducci que se encontre com um homem que descreve com "dois metros de altura ... 97 quilos ... 33 anos, completamente activo."

Balducci é também um conselheiro sénior da Congregação para a Evangelização dos Povos, o departamento que supervisiona atividades missionárias da Igreja Católica Romana em todo o mundo.

Desde 1995, ele foi um membro de uma das fraternidades mais exclusivas do mundo - os Cavalheiros de Sua Santidade, ou Senhores Papais, os responsáveis pelo cerimonial da Casa Pontifícia. Nas palavras de um decreto de 1968, espera-se que "se distingam para o bem das almas e a glória do nome do Senhor".

A investigação inclui também uma rede de prostituição masculina organizada em Roma.

O cantor identificado como Ehiem nasceu na Nigéria e, segundo a imprensa italiana, foi despedido do coro da Catedral de São Pedro quando se tornou conhecido todo o escândalo. Começou a trabalhar para Balducci há 10 anos e segundo as escutas realizadas por cinco meses em 2008 terá arranjado 10 contactos com, entre outros, "dois rapazes negros de Cuba", um ex-modelo de Nápoles e um jogador de rugby.

Esta novo escândalo sexual no Vaticano vêm-se a juntar aos recentes casos com a Igreja Católica na Irlanda e na Alemanha, numa altura em que Portugal prepara-se para receber Bento XVI na sua primeira visita oficial ao país em Maio.
(Fonte: PortugalGay)

 Então e agora?
É que não há comentários...

1 comentário:

Esme disse...

Condenam os homossexuais mas pelos vistos também tem relações homos...