1.3.10

Palavras

Cada dia que passa, sinto que as palavras se vão esgotando… Primeiramente iam desaparecendo devagarinho porque, meio tímidos, não falávamos muito. Agora, as palavras desaparecem à velocidade da luz!
Há palavras que até já perderam o sentido só de tanto serem usadas!
É que daqui a pouco, não tenho mais palavras para descrever o quanto ele significa para mim, o quão importante foi o seu aparecimento na minha Vida… Daqui a pouco apenas tenho silêncios para lhe oferecer!
Mas estes silêncios são especiais, são daqueles servidos em bandeja de ouro puro, daqueles em que as palavras são silenciosas e os diálogos longos silêncios harmoniosos.  
De qualquer maneira (com as palavras a gastarem – se a uma velocidade vertiginosa) eu não gostaria de lhe dar silêncios (sejam eles quais forem!). Gostaria de lhe dar gestos cúmplices e abraços suaves… Mas até que os gestos e os abraços não se tornarem um meio de comunicação entre nós, prefiro desgastar as palavras (aquelas palavras melosas) até que o seu significado se desvaneça e não faça sentido continuar a pronunciá-las (ou a escrevê-las…).
Quando esse triste acontecimento ocorrer teremos de combinar os gestos e ensaiar os abraços, para que tudo esteja perfeito! Para que possamos descrever com mais precisão a importância de cada um na Vida um do outro…
Claro que métodos eficazes, para descrever um sentimento tão simples (mas tão complexo) como é o Amor, não existem e quando a era dos gestos cúmplices e abraços suaves se extinguir teremos de descobrir uma nova maneira de comunicar.
Porque, no fundo, temos de nos redescobrir a nós próprios e um ao outro… Um processo de redescoberta para que as descrições possam ser feitas com, cada vez mais, precisão!

2 comentários:

Edu disse...

*.* De facto as palavras começam a esgotar.se... Prefiro comentar isso no meu blog. Passa por lá!
És unico para mim. Adoro-te, Amo-te, TUDO!

Esme disse...

...